Notícias | Dia a dia
Chardy encerra a temporada após reação à vacina
04/10/2021 às 11h17

Paris (França) - Enquanto o debate sobre a vacinação segue nos circuitos da ATP e WTA, com a possibilidade de os tenistas serem obrigados a estarem vacinados para disputar o Australian Open de 2022, a situação atual do francês Jeremy Chardy coloca mais fogo no assunto. Em entrevista ao L’Equipe, ele contou ter encarado reações adversas à vacina e se viu obrigado e encerrar mais cedo a temporada.

“Desde que fui vacinado, tenho um problema contra o qual estou lutando. De repente, não consigo mais treinar ou jogar”, disse o francês de 34 anos, contando sobre a reação adversa à vacina da Pfizer, que foi inoculada entre os Jogos Olímpicos e o início do US Open. Ele reclama por estar sofrendo dores "violentas" por todo o corpo assim que tenta fazer um pequeno esforço físico.

Ainda buscando uma solução, Chardy preferiu encerrar a temporada mais cedo. “Fui ver dois médicos e eles me mandaram fazer uns exames para detectar o que eu tenho. Agora o mais importante é me cuidar. Prefiro até ficar mais tempo fora do circuito para me curar e ter certeza que no futuro não terei outro problema. Não quero acrescentar mais problemas de saúde”, comentou.

“É difícil lidar porque não sei quanto tempo vai durar. No momento, minha temporada está parada e não sei quando vou jogar de novo”, complementou o veterano francês, que esté bastante frustrado, não sabe como continuará a jogar ou se poderá jogar de novo, deixando em aberto a possibilidade de se aposentar no ano que vem.

+ Halep: 'Jogadores estão mal informados sobre vacinas'
+ Tsitsipas muda de ideia e agora diz que irá se vacinar
+ Cash pede aos jovens tenistas que não se vacinem
+ Azarenka defende vacinação obrigatória dos tenistas

Chardy foi contundente e disse se arrepender de ter se vacinado. “É frustrante porque comecei o ano jogando muito bem. Além disso, estou ciente de que não tenho mais 10 anos para continuar no circuito. Neste momento eu me arrependo de ter recebido a vacina, mas a verdade é que não tinha como saber”, falou o francês, que caiu na primeira rodada do US Open diante de Matteo Berrettini.

“Em fevereiro eu vou fazer 35 anos e agora pode ser um pouco negativo, mas esta é a primeira vez que eu acho que a próxima temporada pode ser a última. Sério, está passando pela minha cabeça. É difícil porque eu estava me divertindo na pista e queria jogar mais. O problema é que não temos uma visão retrospectiva da vacina. Há pessoas que passaram por coisas semelhantes, embora as durações tenham sido muito diferentes”, finalizou.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG