Notícias | Dia a dia | US Open
Djokovic garante estar satisfeito com ano e motivado
12/09/2021 às 22h08

Sérvio ficou bastante emocionado com o apoio que recebeu da torcida

Foto: USTA

Nova York (EUA) - Apesar da frustração pela derrota na final do US Open, Novak Djokovic garante estar satisfeito com sua temporada e motivado para o que vem pela frente. O sérvio, que foi superado pelo russo Daniil Medvedev por triplo 6/4 neste domingo, poderia sair de Nova York com duas façanhas. Ele buscava o 21º título de Slam da carreira e o raro feito de conquistar todos os quatro torneios do Grand Slam na mesma temporada.

"Infelizmente, não consegui dar o último passo. Mas tracei uma meta e estou muito satisfeito com meu ano. Três títulos de Grand Slam e mais uma final. Nos últimos anos, tenho sido muito transparente sobre os meus objetivos, que é jogar meu melhor tênis nos principais torneios e eu estou conseguindo fazer isso", disse Djokovic, que havia vencido o Australian Open, Roland Garros e Wimbledon nesta temporada.

"Hoje eu estive perto de mais um título de Slam e tenho que estar orgulhoso de tudo que minha equipe e eu conquistamos. E no tênis aprendemos muito rapidamente como virar a página seguinte. Novos desafios virão em breve. Aprendi a superar essas derrotas duras nas finais. São as que mais machucam. Vou tentar algumas lições, aprender, ser mais forte e continuar. Ainda amo esse esporte e ainda me sinto bem em quadra. Enquanto houver motivação e talento, vou continuar jogando", acrescentou o experiente jogador de 34 anos e número 1 do mundo.

Djokovic chegou à final do US Open com 5h35 a mais de tempo em quadra em relação a Medvedev e disputou cinco sets a mais que o russo no torneio. "Passei mais horas na quadra do Daniil, isso é certo. Mas também foi um período emocionalmente muito exigente para mim nos últimos cinco ou seis meses. Três Slam, mais as Olimpíadas e joguei em casa em Belgrado", avaliou. "Foram muitas emoções diferentes. Claro, uma parte de mim está muito triste. É difícil de engolir essa derrota, considerando tudo que estava em jogo".

O sérvio teve a torcida a favor neste domingo e agradeceu aos fãs pelo carinho. "Senti algo que nunca senti na minha vida aqui em Nova York. A multidão me tornou muito especial. Eles me surpreenderam agradavelmente. Eu não sabia, não esperava nada, mas a quantidade de apoio, energia e amor que recebi da torcida é algo que vou lembrar para sempre. Foi por isso que eu comecei a chorar na quadra. A emoção e a energia eram tão fortes quanto ganhar 21 títulos de Grand Slam. Eu me senti muito, muito especial. Foi simplesmente maravilhoso".

Sérvio destacou grande atuação de Medvedev em quadra
Apesar de reconhecer que não fez uma boa partida, Djokovic enalteceu a grande atuação de Medvedev em quadra. "Ele estava vencendo seus pontos muito bem. Ele estava muito determinado na quadra. Eu pude sentir que ele estava no máximo de suas habilidades em cada golpe. Ele tinha muita clareza sobre o que precisava fazer taticamente e executou o plano de jogo perfeitamente".

"Por outro lado, estava um pouco abaixo do nível do meu jogo. Minhas pernas não estavam lá. Eu estava tentando, fiz o meu melhor, mas cometi muitos erros não forçados. Se você está jogando contra alguém como Medvedev, que faz muitos aces e ganha muitos pontos com seu primeiro serviço, você está constantemente sob pressão em seus games de serviço. Eu estava abaixo da média em tudo, para ser honesto. Infelizmente, não era o meu dia".

Diferente do que aconteceu na final de Roland Garros, quando reverteu uma desvantagem de 2 sets a 0 contra Stefanos Tsitsipas, Djokovic acredita que teve poucas chances na partida e lamentou a oportunidade perdida no início do segundo set. "Foi diferente porque meu sentimento na quadra não era tão bom quanto o que eu tinha em Paris. Em termos de energia, eu me sentia lento. Mas tive uma chance no início do segundo set. Ele teve um 0-40 e depois tive mais alguns break-points. Eu estava muito perto. Quem sabe qual seria o rumo do jogo se eu conseguisse uma quebra no segundo set. Com a torcida e com o apoio, provavelmente eu me sentiria diferente".

"Mas ele se saiu muito bem. Quero dizer, ele foi incrível. Tenho apenas que parabenizá-lo, crédito total por sua mentalidade, por seu jogo e tudo. Ele com certeza foi o melhor jogador e merecia a vitória. Claro que estou desapontado com o jogo que fiz hoje. Sei que poderia e deveria ter feito melhor. Mas assim é o esporte. Você ganha alguns e perde outros. É uma derrota difícil, mas ao mesmo tempo estou feliz por ele porque ele é um cara legal e mereceu vencer".

Comentários