Notícias | Dia a dia
Bia deseja melhoras a Stefani e disputa final às 9h
12/09/2021 às 00h21

Bia já superou um longo histórico de lesões ao longo da carreira

Foto: Divulgação

Montreux (Suíça) - Classificada para a final do ITF W60 de Montreux, em quadras de saibro na Suíça, Beatriz Haddad Maia fez questão de lembrar da amiga Luísa Stefani, que sofreu uma ruptura de ligamento no joelho direito durante a semifinal de duplas do US Open. Bia, que já superou um longo histórico de lesões em sua carreira comentou sobre o difícil momento vivido pela colega de circuito.

"Ontem tivemos um dia tão triste com a Luísa, foi difícil de ver aquilo. Não consigo nem imaginar como ela está se sentindo agora. Faz nós, atletas, refletirmos e sermos gratos por estarmos com saúde", disse Bia Haddad Maia, que defende uma invencibilidade de nove jogos na Suíça. Na semana passada, ela venceu o ITF W60 de Collonge-Bellerive.

Número 1 do Brasil no ranking de simples e 174ª do mundo, Bia comemorou o desempenho na semifinal de sábado contra a turca Cagla Buyukakcay, ex-top 60 e atual 202ª do mundo. "Foi um jogo bom, contra uma adversária que já foi top 60 do mundo. Eu consegui jogar firme e ser consistente praticamente o jogo inteiro", comentou sobre a vitória por 6/2 e 6/4.

"Em alguns momentos eu poderia ter buscado mais a rede e ter sido mais agressiva, mas acho que administrei o jogo melhor do que ela nos momentos importantes. Não me frustrei, nem quando perdi o saque no segundo set. Consegui voltar pro jogo já no game seguinte, devolvendo super bem. Cada vez mais estou conseguindo voltar logo pro jogo depois desses momentos não tão bons, e acho que é por isso que estou tendo resultados nessas últimas semanas", avaliou a canhota de 25 anos, que busca o quinto título no ano e o 17º na carreira.

A adversária de Bia na final será a britânica Francesca Jones, jovem de 20 anos e 170ª do ranking. A partida será às 9h (de Brasília) deste domingo. A brasileira já enfrentou a britânica um vez este ano, vencendo a final de Villa Maria, na Argentina. "É sempre especial jogar uma final, me sinto preparada. Eu e a Jones jogamos por três horas em Villa Maria, que foi a minha primeira final do ano. Ela é uma jogadora super forte, com muitas qualidades, e a gente também se conhece bastante. Estou feliz, animada e motivada, que acho que é o principal".

Comentários
Loja - camisetas
Torneio Teodózio