Notícias | Dia a dia | US Open
Djokovic tenta ser o sexto a fechar o Grand Slam
11/09/2021 às 21h37

Djokovic pode sair de Nova York com recorde de Slam e façanha de vencer os quatro no mesmo ano

Foto: Garrett Ellwood/USTA

Nova York (EUA) - O domingo em Nova York será histórico para o tênis mundial por conta da possibilidade de Novak Djokovic conseguir duas façanhas. Campeão no Australian Open, de Roland Garros e também de Wimbledon em 2021, o número 1 do mundo disputa a final do US Open. O sérvio tenta conquistar o 21º título de Grand Slam da carreira e terminar a temporada tendo vencido todos os quatro principais torneios do tênis mundial. Para isso, terá que vencer o russo Daniil Medvedev, vice-líder do ranking, a partir das 17h (de Brasília).

Três vezes campeão do US Open, nos anos de 2011, 2015 e 2018, Djokovic está empatado com seus principais rivais, Roger Federer e Rafael Nadal em número de títulos de Grand Slam. Cada um dos três possui 20 conquistas deste porte. Uma vitória no domingo faria dele o recordista isolado em número de conquistas. Além disso, pode repetir a façanha do australiano Rod Laver, último homem a triunfar nos quatro grandes palcos em uma mesma temporada. Isso aconteceu em 1969.

Apenas cinco tenistas na história, considerando homens e mulheres, conseguiram vencer todos os quatro torneios do Grand Slam no mesmo ano. O primeiro a conseguir essa façanha foi Don Budge, no ano de 1938. Quinze anos depois, em 1953, a também norte-americana Maureen Connolly foi a primeira mulher a conseguir o feito. Rod Laver foi além e conseguiu o feito em dois anos diferentes, 1962 e 1969. No ano seguinte, 1970, a também australiana Margaret Court também dominou os Grand Slam. Já em 1988, a alemã Steffi Graf também venceu os quatro principais torneios do mundo e ainda levou a medalha olímpica de ouro em Seul.

O histórico de Djokovic contra Medvedev é favorável. O sérvio de 34 anos acumula cinco vitórias e três derrotas contra o russo. O último encontro entre eles foi justamente a decisão do Grand Slam australiano no início da temporada. Medvedev, de 25 anos, disputa a terceira final de Slam na carreira e busca o maior título da carreira. Ele pode se tornar o terceiro campeão de Slam de seu país, juntando-se a Yevgeny Kafelnikov (Roland Garros-1996 e Australian Open-1999) e Marat Safin (US Open-2000 e Australian Open-2005).

Djokovic teve quatro viradas e ficou 5h35 a mais em quadra

O caminho de Djokovic até a final foi mais longo que o de Medvedev. O sérvio disputou 24 sets no torneio, venceu 18 e perdeu 6, e precisou de quatro viradas seguidas contra Kei Nishikori na terceira rodada, Jenson Brooksby nas oitavas, Matteo Berrettini nas quartas e Alexander Zverev na semifinal. Também perdeu um set para o dinamarquês de 18 anos Holger Rune na primeira rodada. Sua única vitória por 3 a 0 no torneio foi na segunda rodada, diante do holandês Tallon Griekspoor. Com isso, ficou em quadra por 17h26 durante o torneio.

Já Medvedev perdeu apenas um set neste US Open, diante do holandês Botic van de Zandschulp nas quartas de final. Suas demais vitórias, contra Richard Gasquet, Dominik Koepfer, Pablo Andujar, Daniel Evans e Felix Auger-Aliassime foram todas por 3 sets a 0. Com isso, ficou em quadra por 11h51 em seis jogos, 5h35 a menos que Djokovic. As vitórias do russo ao longo do torneio foram tão rápidas, que ele passou menos tempo em quadra que a canadense Leylah Fernandez, finalista da chave feminina, entre a primeira rodada e a semi. Em seus seis primeiros jogos em Nova York, Fernandez passou 12h45 em quadra.

Pontos no ranking e premiação em dinheiro
É certo que Djokovic e Medvedev irão permanecer nas duas primeiras posições do ranking. O prêmio em dinheiro para o campeão do US Open é de US$ 2,5 milhões, além de 2 mil pontos na ATP. O vice-campeão recebe US$ 1,25 milhão e 1.200 pontos no ranking. Djokovic tem apenas 180 pontos a defender, referentes às oitavas de 2019, e vai melhorar sua marca. Atualmente, tem 11.113 pontos. Já Medvedev já defendeu a pontuação de vice de dois anos atrás e está mantendo seus 9.980 pontos, mas pode ganhar outros 800 se for campeão. Na carreira, o sérvio acumula uma premiação em dinheiro superior a US$ 151 milhões, enquanto o russo ganhou mais de US$ 17,2 milhões.

Relembre os oito confrontos entre Djokovic e Medvedev.

2021
Australian Open - final - Sintético - Djokovic, 7/5 6/2 6/2

2020
ATP Finals - fase de grupos - Sintético coberto - Medvedev, 6/3 6/3
ATP Cup - semifinal - Sintético - Djokovic, 6/1 5/7 6/4

2019
Cincinnati - semifinal - Sintético - Medvedev, 3/6 6/3 6/3
Monte Carlo - quartas - Saibro - Medvedev, 6/3 4/6 6/2
Australian Open - oitavas - Sintético - Djokovic, 6/4 6/7 6/2 6/3

2017
Eastbourne - semifinal - Grama - Djokovic, 6/4 6/4
Copa Davis - 1ª rodada - Sintético coberto - Djokovic, 3/6 6/4 6/1 1/0 des.

Comentários