Notícias | Dia a dia | US Open
Campeã vinda do quali, Raducanu salta 127 posições
11/09/2021 às 20h12

Raducanu sai do 150º para o 23º lugar do ranking, enquanto Fernandez assume o 27º lugar

Foto: USTA

Nova York (EUA) - Campeã do US Open com apenas 18 anos neste sábado, Emma Raducanu acumulou uma série de façanhas em Nova York. Ela é, por exemplo, a vencedora mais jovem de um Grand Slam desde 2004 e a primeira britânica a conquistar um título deste porte desde 1977. Raducanu é também a única tenista vinda do qualificatório a vencer um Slam. Ela precisou de dez vitórias seguidas, ao longo das últimas três semanas, para chegar ao título. E não perdeu nenhum set durante a campanha.

Mas após a maior conquista de sua carreira, Raducanu ficará longe de um qualifcatório por muito tempo. Com os 2 mil pontos obtidos em Nova York, a britânica vai ultrapassar 127 jogadoras. Ela sai da atual 150ª posição do ranking para ser a 23ª do mundo. Além disso ultrapassa as compatriotas Heather Watson, 64ª, e Johanna Konta, 47ª, para se tornar a nova número 1 britânica. Konta, que já foi a quarta do mundo em 2017 e disputou três semifinais de Slam carregava o status de principal jogadora do Reino Unido por 310 semanas.

A escalada de Raducanu no ranking é notável. Em 28 de junho, quando iniciou a disputa de Wimbledon como convidada, ocupava apenas o 338º lugar e nunca havia disputado uma chave principal de Grand Slam. Com três vitórias e a vaga nas oitavas, saltou para a 179ª posição. Ela só atingiu o 150º lugar, marca que até então era a melhor de sua carreira, em 23 de agosto, depois de um vice-campeonato no WTA 125 de Chicago.

Vice-campeã em Nova York, a canadense de 19 anos Leylah Fernandez também dará um salto no ranking. Ela começou o torneio como 73ª do mundo e vai saltar para o 27º lugar. Se fosse campeã, entraria no top 20 e ainda ultrapassaria Bianca Andreescu para se tornar a nova número 1 de seu país. Fernandez também perde a chance de colar na zona de classificação para o WTA Finals. Se fosse campeã, seria a nona melhor jogadora do ano e ficaria a apenas 60 pontos da oitava colocada, mas a derrota a faz ficar 760 pontos distante de Garbiñe Muguruza, considerando só os resultados de 2021.

Mudança de patamar também na premiação em dinheiro para as duas finalistas. A campeã do US Open recebe US$ 2,5 milhões, enquanto a vice ganha US$ 1,25 milhão. Fernandez tinha na carreira uma premiação de US$ 786.772, tendo conquistado um título de WTA no início deste ano em Monterrey. Já Raducanu havia acumulado em toda a carreira profissional um prêmio de US$ 303.376.

Comentários