Notícias | Dia a dia | US Open
Medvedev acredita que experiência pode ajudar
11/09/2021 às 11h08

Nova York (EUA) - O russo Daniil Medvedev é agora o único que pode impedir Novak Djokovic de chegar ao 21º troféu de Grand Slam da carreira e levar todos os grandes títulos da temporada. Ele está em sua terceira final desse nível e a segunda no US Open e assim considera que a experiência anterior será muito útil no domingo.

"Em Melbourne, foi difícil para mim competir sem o calor do público, demorei a me conectar à partida, mas aqui está tudo diferente e vou fazer o possível para subir a temperatura da partida. Acho que não joguei com todo o coração na Austrália, e isso vai mudar, eu garanto", lembrou ele sobre a final de fevereiro perdida justamente para Djokovic.

O russo também vê muita diferença em relação ao vice de 2019 em Nova York. "Eu já me sentia um afortunado por ser o finalista, já tinha vencido muito na fase de quadra dura e talvez não sentisse que era imprescindível ganhar mais uma. Agora, é diferente. Sinto que estou no meu momento. Claro que, se enfrentar alguém que tem 20 troféus de Grand Slam, é óbvio que não tenho obrigação de ganhar, mas desta vez chegarei mais convencido de que posso ser campeão".

Com apenas um set perdido nas seis partidas já realizadas, ele também acha que isso pode ser uma vantagem. "Esta foi uma caminhada bastante suave, nada parecida com a de dois anos atrás, quando sofri até cãibras, joguei no limite e tive polêmica com o público. É muito bom chegar até aqui de forma cômoda, porque é muito difícil vencer um Grand Slam se tem que lutar o tempo todo e se esforçar nas primeiras rodadas".

Sobre a partida contra Felix Aliassime na sexta-feira, o russo ficou satisfeito por ter evitado a perda do segundo set. "Estava uma quebra abaixo e era normal que perdesse esse set e aí nunca se sabe o que poderia ter acontecido", avaliou. "De qualquer forma, acho que fui consistente ao longo de toda a partida,. o saque funcionou bem e acho que ele caiu depois de desperdiçar os set-points".

Único que poderá barrar o grande feito de Djokovic, o russo vê a situação por diferentes ângulos. "Esse fator pode gerar mais pressão sobre ele, mas de outro lado Novak cresce quanto maior é o desafia que tem pela frente. Então é uma faca de dois gumes. Vou analisar bem a semifinal dele contra (Alexander) Zverev e posso garantir que darei o máximo no domingo".

Comentários