Notícias | Dia a dia | US Open
Após o vice, Soares destaca melhor torneio do ano
10/09/2021 às 21h25

Soares e Murray foram superados por Ram e Salisbury na final desta sexta-feira

Foto: Darren Carroll/USTA

Nova York (EUA) - Após o vice-campeonato na chave de duplas do US Open, Bruno Soares destacou o lado positivo de sua boa campanha no Grand Slam norte-americano. Apesar da derrota na final desta sexta-feira, Soares acredita que o torneio ao lado de Jamie Murray em Nova York foi o melhor de sua temporada. Ainda mais, pelo fato de este ter sido seu primeiro compromisso no circuito desde Wimbledon.

"Obviamente estou triste de ter estado tão perto de um título de Grand Slam e ter escapado, mas sempre busco olhar pelo lado positivo também. Depois de tudo o que aconteceu comigo, da apendicite e todo esse tempo fora das quadras, estar em uma final de Slam é realmente especial", disse Bruno Soares, que foi diagnosticado com apendicite às vésperas dos Jogos Olímpicos de Tóquio e ter que passar por cirurgia. Ele estava há dois meses sem competir e chegou a ficar um mês parado em casa.

"E sem dúvidas foi o nosso melhor torneio do ano, jogamos melhor que na Austrália. Agora estamos na briga por uma vaga no ATP Finals, então é aproveitar esse embalo e levar isso para esse fim de temporada", continuou o mineiro de 39 anos e número 11 do mundo. Na temporada, ele e Murray também venceram um ATP 250 em Melbourne e foram semifinalistas do Australian Open. Com a campanha em Nova York, sobem para a oitava colocação na corrida para Finals e têm como próximo desafio o torneio de Indian Wells.

'Começamos super bem, mas perdemos o momento', disse Soares
Soares e Murray começaram melhor na final desta sexta-feira, mas perderam para o norte-americano Rajeev Ram e o britânico Joe Salisbury por 3/6, 6/2 e 6/2. "Começamos super bem a partida. Só que no início do segundo set perdemos um pouco do momento, levamos uma quebra e não conseguimos recuperar o nível. Não sacamos bem nesse jogo e eles subiram demais o nível, além de terem sacado melhor, o que acabou dificultando ainda mais", analisou Soares, que tem dois títulos de duplas masculinas no US Open e mais dois nas duplas mistas. "Vim para cá só querendo aproveitar o momento e deu no que deu. Queria agradecer o carinho da torcida e todas as mensagens que recebi nessas duas semanas. Agora é levantar a cabeça e seguir firme".

Ram e Salisbury conquistaram o segundo Slam
Algozes de Soares e Murray na final, Ram e Salisbury conquistaram o segundo Grand Slam juntos. Eles já haviam vencido o Australian Open de 2020. "Muito feliz com a forma como atuamos e com tudo o que fizemos lá fora. Não jogamos um bom primeiro set. Achamos difíceis as condições e foi minha primeira vez jogando em Ashe. Foi muito jogar difícil com o sol e a sombra, era meio que metade da quadra estava no sol, a outra metade na sombra. Estávamos lutando para ver bem a bola. Obviamente, eles lidaram com isso melhor do que nós", avaliou o britânico. "Mas não entramos em pânico. Obviamente, melhoramos muito e acho que jogamos muito bem o segundo e o terceiro set".

"Não tenho muito mais a acrescentar a isso", disse Ram. "Sinto que meio que toda a partida simboliza nossa visão sobre como encaramos os nossos jogos. Nós ficamos juntos. Nem sempre vai ser bonito e nem sempre vai ser fácil, ainda mais em uma final. Mas acho que isso também mostra o quão longe chegamos como equipe. Talvez um ano e meio atrás, teria sido muito difícil e provavelmente impossível para nós vencermos. Mas em 10 minutos, passamos a sentir que éramos os favoritos. Estou incrivelmente feliz com o fato de termos feito tanto progresso a ponto sentir isso também em uma final importante".

Comentários