Notícias | Dia a dia | US Open
Stefani sofre lesão e abandona a semi do US Open
10/09/2021 às 15h54

Stefani e Dabrowski disputavam o tiebreak do 1º set da semifinal desta sexta-feira

Foto: Peter Staples/USTA

Nova York (EUA) - A primeira semifinal de Grand Slam na carreira de Luísa Stefani precisou ser abreviada nesta sexta-feira. Stefani sofreu uma queda em quadra durante o tiebreak do primeiro set. Ela e Dabrowski enfrentavam a jovem parceria norte-americana de Coco Gauff e Caty McNally, que avançaram à final do torneio. O placar quando jogo foi paralisado estava 6/6 e 2-1 no tiebreak para Stefani e Dabrowski após 58 minutos de partida. A brasileira precisou ser retirada da quadra em uma cadeira de rodas. Segundo a assessoria da tenista, a lesão foi no joelho direito e ela passará por exames.

Gauff e McNally enfrentam na final do US Open a australiana Samantha Stosur e a chinesa Shuai Zhang, que mantiveram o embalo depois do recente título do WTA 1000 de Cincinnati. Stosur e Zhang venceram nesta sexta-feira a chilena Alexa Guarachi e a norte-americana Desirae Krawczyk por 6/2 e 7/5. Enquanto as jovens norte-americanas disputam uma final inédita, Stosur e Zhang já conquistaram juntas o Australian Open de 2019. A veterana australiana de 37 anos tem três títulos de Grand Slam nas duplas femininas e também o US Open de simples de 2011. Zhang está com 32 anos e busca o segundo Slam da carreira.

"Luísa é uma grande jogadora, e a dupla dela é muito forte para enfrentar. É uma pena. Acho que seria uma grande partida e aquele primeiro set poderia ter ido para qualquer lado. Espero que ela fique bem e se recupere rápido, mas nunca é o jeito que gostaríamos de vencer", disse McNally, de 19 anos, após a partida.

Gauff, que tem apenas 17 anos e estava muito emocionada, complementou: "Estar na final significa muito, mas eu não gosto de ganhar um jogo assim. A Luísa é muito legal e eu não consigo nem ver a cena de novo. É muito duro. Sei que elas trabalharam tanto quanto a gente para estar nessa final e só desejo o melhor para ela. Como atleta, ver uma lesão assim é algo que parte o coração. E acho que todos devemos apoiá-la. Espero que no ano que vem ela esteja bem melhor".

Stefani e Dabrowski salvaram 4 set-points
Enquanto estiveram em quadra, Stefani e Dabrowski fizeram uma disputa muito equilibrada com Gauff e McNally. Já nos primeiros games, a brasileira tentava algumas devoluções com lobs e que pressionavam um pouco a dupla de jovens norte-americanas. Ela e Dabrowski tiveram os primeiros break-points contra o saque de McNally ainda no começo do jogo e, pouco depois, quebraram o serviço de Gauff e fizeram 3/2. Dabrowski teve o saque quebrado no sexto game e permitiu a igualdade. Dois games depois, Stefani escapou de um 15-40 em seu saque.

Já quando as norte-americanas venciam por 5/4, Dabrowski começou o game com duas duplas faltas e a parceria se viu em 0-40. A brasileira e a canadense salvaram os dois primeiros set points com boa atuação junto à rede, e contaram com um erro de McNally com o backhand na terceira chance. No mesmo game, a dupla norte-americana teve mais um set-point e não aproveitou.

Já durante o tiebreak, Stefani sofreu a queda no meio do ponto, quando ela e Dabrowski tinham 2-0. A canadense até continuou no ponto, até cometer um erro, e logo partiu para atender a parceira. A equipe médica do torneio também entrou em quadra para ampará-la. Stefani já não conseguia se manter apoiada em pé e precisou da cadeira de rodas para sair. Ela recebeu atendimento nos vestiários, mas não teve condições de voltar à quadra.

Stefani fez seu melhor Slam e vai subir no ranking
A saída de quadra por lesão encerra a melhor participação de Luísa Stefani em um Grand Slam, superando a campanha até as quartas de final do ano passado, quando atuava ao lado da norte-americana Hayley Carter. Atualmente com o melhor ranking da carreira, no 17º lugar, a paulista de 24 anos recebe 780 pontos no ranking tendo 240 a descartar. Com isso, ela deve ganhar posições na lista da próxima segunda-feira.

Além disso, sua parceria com Dabrowski entrará na zona de classificação para WTA Finals, torneio entre as oito melhores parcerias da temporada. A brasileira e a canadense vinham de três finais seguidas, com título em Montréal e finais em San Jose e Cincinnati.

Comentários