Notícias | Dia a dia | US Open
Raducanu avança e NY assiste final da nova geração
10/09/2021 às 00h42

Raducanu venceu nove jogos seguidos desde o quali e não perdeu nenhum set

Foto: Darren Carroll/USTA

Nova York (EUA) - Horas depois de Leylah Fernandez garantir seu lugar na final do US Open com apenas 19 anos, a ainda mais jovem Emma Raducanu também venceu sua semifinal e confirmou um duelo da nova geração na luta pelo título em Nova York. Raducanu, de 18 anos e vinda do qualificatório, marcou sua nona vitória seguida na competição e superou a grega Maria Sakkari por 6/1 e 6/4 em apenas 1h20 de partida.

Raducanu e Fernandez vão protagonizar no próximo sábado apenas a oitava final de Grand Slam na Era Aberta entre duas tenistas com menos de 20 anos. A última vez que isso aconteceu foi no US Open de 1999, quando Serena Williams tinha 17 anos e superou Martina Hingis, de 18. Apesar da pouca diferença de idade, a canadense e a britânica nunca se enfrentaram pelo circuito profissional.

Ao alcançar a final do US Open, Raducanu tenta repetir o feito de Virginia Wade, campeã em 1968 e única mulher britânica a disputar a final do torneio na Era Aberta. Além disso, a atual 150ª do mundo se torna apenas a segunda jogadora de fora do top 100 a disputar uma final de US Open. Primeira tenista vinda do quali a disputar uma final de Slam, ainda não perdeu um set sequer. A ótima campanha já a coloca no top 50 e faz com que ela ultrapasse Johanna Konta no posto de número 1 britânica.

Pressão constante contra o saque da grega
A semifinal desta quinta-feira começou com games muito longos e oportunidades para os dois lados, mas era Raducanu quem prevalecia nos pontos mais importantes, tendo escapado de sete break-points durante o primeiro set, Sakkari, que só havia perdido oito pontos no saque durante o jogo contra Karolina Pliskova nas quartas, teve seu serviço quebrado duas vezes seguidas.

Isso confirmava os ótimos números da britânica nas devoluções ao longo de todo o torneio. Até as quartas de final, ela havia vencido 53% dos pontos disputados no saque das adversárias, e 61% quando as rivais dependiam do segundo serviço. Raducanu abriu 5/0 no placar antes que Sakkari pudesse finalmente fazer um game.

Logo no início do segundo set, Raducanu conseguiu mais uma quebra de serviço e passou a pressionar o serviço de Sakkari em praticamente todos os games de saque da grega. Ela criou oito break-points ao longo de toda a parcial, ao mesmo tempo em que só perdia 5 pontos no saque. Mesmo depois de ter perdido muitas chances em um game com oito minutos e cinco oportunidades de quebra, a britânica não se abalou e confirmou o saque com muita tranquilidade na sequência. Raducanu manteve o domínio da partida até o fim para consolidar a vaga em sua primeira final de Grand Slam.

Raducanu criou 11 break-points durante a partida desta quinta-feira e conseguiu três quebras. Sakkari até teve bons números quando colocou o primeiro serviço em quadra, 71%, mas só venceu 34% dos pontos jogados com o segundo saque. No geral, venceu 32 dos 60 pontos jogados em seu serviço. Raducanu fez 16 winners, contra 17 de Sakkari, e cometeu 17 erros contra 33 da rival.

Comentários