Notícias | Dia a dia | US Open
Djokovic elogia começo de Brooksby e destaca ajustes
07/09/2021 às 09h52

Nova York (EUA) - Atual 99 do mundo, o norte-americano Jenson Brooksby assustou o sérvio Novak Djokovic no começo do duelo entre eles pelas oitavas de final do US Open e venceu o primeiro set com contundente 6/1. Entretanto, o número 1 do mundo mostrou na sequência toda sua categoria e poder de adaptação para buscar a virada e seguir vivo na busca pelo 21º título de Grand Slam.

“Ele começou melhor. Eu nunca o enfrentei e não o vi jogar muitas vezes, talvez algumas partidas nos últimos meses. Não conhecia muito sobre sua carreira antes, então não sabia muito sobre ele. Tive que fazer alguns estudos e análises antes”, observou Djokovic, que gastou 2h58 para triunfar com o placar final de 1/6, 6/3 e 6/2 e 6/2.

O sérvio não destacou apenas o grande início do rival, mas também algumas boas armas do norte-americano de 20 anos. “Ele é um jogador jovem, talentoso e muito astuto. Tem um jogo realmente versátil, começou com tudo na partida e tinha a torcida dando apoio. Ele jogou um primeiro set perfeito, tudo o que tentou fazer conseguiu executar com perfeição”, analisou o líder do ranking.

Aos poucos, Djokovic foi entrando na partida e revertendo a situação. “Comecei tentando encontrar ritmo, ler seu jogo, tentando entender onde eu poderia encontrar buracos, começar a atacar e mudar as coisas para o meu lado. Isso aconteceu já no início do segundo set. Eu o quebrei cedo, ele devolveu, mas consegui nova quebra imediatamente”, contou o tenista de Belgrado.

“O terceiro e o quarto sets foram muito bons para mim, senti que era mais dominante. Diminuí os erros não forçados que estavam muito altos na primeira parte da partida”, complementou Djokovic, que agora terá pela frente o italiano Matteo Berrettini, em um repeteco da final de Wimbledon deste ano.

“Ao lado de (Juan Martin) del Potro, provavelmente é o cara que melhor combinação de saque e forehand. Ele já está estabelecido como um jogador de topo, já fez uma semifinal aqui alguns anos atrás e nos enfrentamos na final de Wimbledon. Foi um jogo de quatro sets difícil. Se ele sacar bem, que é sua maior arma, será duro”, adiantou Djokovic.

Além de ter batido o italiano no All England Club neste ano, o sérvio também o venceu nas quartas de Roland Garros, quando também perdeu um set. “Ele é difícil de se enfrentar em qualquer superfície. Tive batalhas muito disputadas na França e em Wimbledon. Vamos jogar o terceiro Grand Slam consecutivo um contra o outro. Espero que resultado seja o mesmo dos outros dois”, finalizou.

Comentários