Notícias | Dia a dia | US Open
Pliskova mantém boa fase e volta às quartas em NY
06/09/2021 às 21h45

Em dois meses, Pliskova já recuperou nove posições no ranking

Foto: Andrew Ong/USTA

Nova York (EUA) - A consistência de Karolina Pliskova nos últimos meses do circuito segue rendendo bons resultados e a tcheca está de volta às quartas de final do US Open depois de três anos. Pliskova superou nesta segunda-feira a russa Anastasia Pavlyuchenkova, 15ª do ranking, por 7/5 e 6/4 em 1h35 de partida. Esta foi sua sétima vitória em nove jogos contra Pavlyuchenkova no circuito.

A série de bons resultados recentes de Pliskova começou com a final de Wimbledon em julho, e contou também com o vice-campeonato em Montréal e a semifinal de Cincinnati. O único acidente de percurso foi a queda nas oitavas dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Com isso, a jogadora de 29 anos e ex-número 1 do mundo vai recuperando posições. Ela ocupava o 13º lugar do ranking há dois meses, está na quarta posição e vai ultrapassar Naomi Osaka após o US Open.

O melhor resultado de Pliskova no US Open foi o vice-campeonato em 2016, ano em que ela perdeu para Angelique Kerber na final. Depois, chegou às quartas também em 2017 e 2018, mas foi precocemente eliminada nas duas últimas edições. Sua próxima adversária virá do difícil confronto entre a canadense Bianca Andreescu (campeã em 2019) e a grega Maria Sakkari.

Depois de ter disparado 24 aces na batalha contra Amanda Anisimova pela segunda rodada e outros 20 na tranquila vitória sobre Ajla Tomljanovic na terceira fase, Pliskova foi mais econômica nessa estatística. Ela disparou seis aces e ainda fez cinco duplas-faltas. Além disso, enfrentou nove break-points no jogo e sofreu duas quebras. Mas a tcheca soube ser agressiva. Fez 24 a 19 em winners e cometeu 24 erros, contra 34 da russa, além de ter conseguido quatro quebras na partida.

Pliskova já começou o jogo quebrando o saque de Pavlyuchenkova e abriu 2/0, mas permitiu o empate no oitavo game. As sacadoras prevaleceram até que a tcheca conseguisse quebrar de novo no último game do primeiro set. A parcial seguinte começou com uma troca de quebras e games muito longos. Quando o placar estava empatado por 3/3, Pliskova reverteu um 0-40 no saque e ganhou muita confiança antes de voltar a quebrar no último game da partida.

Comentários