Notícias | Dia a dia | US Open
Zverev volta a criticar Tsitsipas e diz que não foi o 1º
05/09/2021 às 11h52

Nova York (EUA) - Mais uma vez as demoradas idas ao banheiro de Stefanos Tsitsipas foram assunto na entrevista do alemão Alexander Zverev, um dos primeiros a reclamar do grego. Ele lembrou que embora tenha sido aquele que deu mais visibilidade à questão, não foi o primeiro a criticar a postura do atual número 3 do mundo, garantindo que outros já estavam descontentes também.

“Eu não fui o primeiro, sem querer ser arrogante, fui o primeiro grande nome. Krajinovic mencionou isso em Hamburgo e outros caras já reclamaram antes. Fui ao banheiro hoje e voltei em um minuto e 30 segundos. É o tempo que se leva. A pausa para ir ao banheiro é para ir ao banheiro. Não cabe a mim decidir isso, mas acho que talvez algumas regras precisem ser alteradas”, falou o alemão.

Sobre a virada e a vitória para cima do norte-americano Jack Sock, que precisou desistir com um problema na virilha quando o alemão já liderava o placar por 3/6, 6/2, 6/3 e 2/1, Zverev lamentou o ocorrido com o rival. “Foi uma pena que ele se machucou, porque senão teria sido uma luta incrível”, comentou número 4 do mundo.

“Jack fez o melhor set que já o vi jogar. Cometi um erro não forçado em todo o set e perdi por 6/3 sem ter realmente uma chance sequer. Para ser sincero, se ele anota 17 winners e dois erros não forçados em uma parcial, não há muito o que fazer. Se tivesse continuado assim, provavelmente eu não teria vencido a partida”, acrescentou Zverev.

“A próxima partida vai ser muito interessante contra Jannik porque ele está com muita fome e é um cara jovem que está jogando muito bem. Acho que vai ser interessante ver como esse confronto vai se desenrolar”, observou Zverev, que enfrentará o italiano Jannik Sinner pela terceira vez, tendo levado a melhor no piso duro de Colônia e perdido no saibro de Roland Garros, ambos em 2020.

Depois de passar 4 horas 52 minutos em quadra nas três primeiras partidas, Zverev vê com olhos bons o tempo reduzido. “É ótimo passar o mínimo de tempo possível em quadra na primeira semana porque é onde você meio que ganha na segunda. Fisicamente me sinto bem, estou contente com minha condição, mas também sei que os adversários não vão ficar mais fáceis e os jogos serão cada vez mais duros”, observou.

Comentários