Notícias | Dia a dia | US Open
Rogers cresce com a torcida e derruba a nº 1 Barty
04/09/2021 às 22h43

Rogers já havia perdido quatro vezes para Barty este ano

Foto: USTA

Nova York (EUA) - O quinto confronto entre Ashleigh Barty e Shelby Rogers na temporada terminou com uma inédita vitória da norte-americana, que havia perdido quatro vezes para a número 1 do mundo só em 2021. Rogers, de 28 anos e 43ª do ranking, contou com muito apoio da torcida no Arthur Ashe Stadium e derrubou Barty com parciais de 6/2, 1/6 e 7/6 (7-5) em 2h08 de partida para chegar às oitavas de final do US Open.

A série de confrontos entre Barty e Rogers na temporada começou ainda em fevereiro, com partidas pelo WTA 500 de Melbourne e o Australian Open, e continuou no har-tru de Charleston e no saibro de Madri. A australiana também já havia superado a norte-americana no primeiro duelo entre elas, disputado ainda em 2017.

A campanha até as oitavas ainda não é a melhor de Rogers no US Open. Ano passado, ela chegou às quartas de final. Sua próxima adversária é a jovem britânica de 18 anos e vinda do quali Emma Raducanu, que já tem seis vitórias seguidas em Nova York e também havia feito oitavas em Wimbledon nesta temporada. A algoz da número 1 do mundo poderia ter abreviado a carreira por uma grave lesão no joelho que a deixou afastada das quadras por mais de um ano, entre março de 2018 e abril de 2019, tendo que escalar todo o ranking novamente.

Rogers controlou a agressividade no início da partida
O jogo começou perigoso para Barty, que cometeu três duplas faltas em seu segundo game de serviço e permitiu uma quebra muito cedo. Apesar de Rogers ser uma jogadora de golpes pesados e com potencial para jogar de forma mais agressiva, a norte-americana trabalhou um pouco mais os ralis do fundo de quadra e esperou pelas oportunidades, que de fato apareceram. Tanto que ela só precisou fazer 3 winners no primeiro set e contou com 17 erros não-forçados de Barty durante a parcial.

A australiana, que não havia tido oportunidades de quebra durante todo o primeiro set, inciou a segunda parcial encarando dois games longos no saque, mas sobreviveu a ambos sem enfrentar break-points. Logo na sequência, conseguiu finalmente uma quebra de serviço para fazer 3/1. Barty ganhou confiança, fez uma parcial impecável em seu saque e conseguiu uma nova quebra de serviço antes de empatar a partida. Ela fez 13 a 5 em winners e cometeu apenas 7 erros contra 6 de Rogers.

Barty começou muito bem o último set e sacou duas vezes para o jogo

Mundialmente reconhecida por suas variações de altura e peso de bola, Barty também variava o posicionamento nas devoluções e mostrava ótima movimentação do fundo de quadra, ora agredindo de cima da linha de base, ora se defendendo muito bem quando estava mais atrás. A líder do ranking mundial já largou com 2/0 acima no terceiro set e ampliou a vantagem para 5/2 com mais uma quebra de serviço.

Sacando para jogo e muito perto de uma vitória contundente, Barty teve o serviço quebrado. Rogers reduziu para 5/4 e chamou a torcida. A norte-americana tentou colocar mais bolas em quadra, reduzindo os riscos, esperando por suas oportunidades e buscou o empate no placar. No tiebreak, cuidou o máximo possível de seu saque, sem perder um ponto sequer no serviço, e contou com alguns erros de forehand de Barty para chegar ao match-point. A norte-americana sacou muitíssimo bem no último ponto para marcar uma das maiores vitórias da carreira. Barty fez 37 a 18 em winners, mas cometeu 39 erros não-forçados contra 20 de Rogers. A partida teve oito quebras de serviço, quatro para cada jogadora.

Comentários