Notícias | Dia a dia
Frases: confira o que estão falando em NY
02/09/2021 às 17h36



“Acho que todos sabem que amo Coco. Ela é uma ótima jogadora. Eu me sinto muito sortuda por tê-la visto crescer e brincar desde quando ela tinha oito anos de idade. Eu vi o jogo dela realmente fazer uma transição e mudar. Estou muito orgulhosa da jogadora que ela é, da garota que ela é e da mulher que está se tornando. Eu sei que haverá grandes coisas pela frente para ela."
Sloane Stephens sobre Coco Gauff

“Eu respeito a opinião de todos, contanto que não seja uma teoria da conspiração.”
Victoria Azarenka sobre a questão da vacinação.

“Se eu quebrar uma regra, claro, sou culpado. Eu concordo, não estou fazendo algo certo. Se estou seguindo as diretrizes, qual é o problema?”
Stefanos Tsitsipas a respeito das suas idas ao banheiro.

“Aprendi que sou capaz de ir longe nos Slam. Acho que se apertar algumas coisas, sou capaz de ganhar um.”
Coco Gauff

“Na vida, você não pode fazer muito sem sorte. Eu me sinto uma pessoa de sorte - sempre fui. Mas você também tem que trabalhar pelo que quer e pelo que deseja. Então, se você for positivo, a sorte vem para você.”
Simona Halep

“Perdi a esperança e muitas vezes perdi vibrações positivas ao longo da minha carreira, mas nunca perdi a paixão pelo jogo. A essência de tudo isso é essa sensação de formigamento que tenho quando encontro os melhores em grandes palcos, e isso me dá vida. Isso me dá toda a felicidade do mundo.”
Andrea Petkovic

“Ele apenas diz: ‘Vai, mamãe!’ Então, ele aponta,‘Bom trabalho, mamãe!”
Victoria Azarenka sobre o filho Leo assistindo suas partidas.

“Acho que todos ficariam super abertos se alguém aparecesse no ATP Tour. A outra pergunta é: existe? Há algum gay no ATP Tour? Até que alguém saia, você não pode saber, a menos que seja o melhor amigo dele e saiba o que ele está passando. Acho ótimo o US Open, essa iniciativa. Eu acho que a ATP, honestamente, está fazendo um bom trabalho tentando fornecer informações internamente e se certificar de que, se alguém quiser se manifestar, ele se sentirá seguro e protegido.”
Daniil Medvedev sobre o Dia do Orgulho LGBTQ+ no US Open

“É um processo de aprendizagem. Agora sinto que gosto mais de estar aqui, sinto que conheço mais a superfície, sei como lidar com tudo. Eu só preciso reiniciar toda vez que venho aqui, ser mais positiva. Mas sinto que provei a mim mesma que, mesmo que alguns torneios não corram bem, você pode voltar um ano e jogar bem e, finalmente, quebrar essa barreira.”
Garbine Muguruza, que nunca passou das oitavas em Nova York.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG