Notícias | Dia a dia | US Open
'Mal posso esperar', afirma um animado Djokovic
28/08/2021 às 07h53

Nova York (EUA) - A sete vitórias de alcançar um dos feitos mais notáveis do esporte, Novak Djokovic não esconde sua ansiedade diante da expectativa de ganhar o quarto Grand Slam da temporada, porém garante estar consciente da expectativa e pronto para suportar a pressão.

"Obviamente eu sei o quão grande é a oportunidade que está diante de mim em Nova York, um lugar onde historicamente sempre joguei bem ao longo dos anos. São talvez as quadras mais divertidas que temos no circuito, e agora com a volta do público", afirmou na entrevista oficial.

Ele diz que tudo gera ansiedade e motivação. "Mal posso esperar. Honestamente, estou muito motivado para mostrar meu melhor tênis, mas tenho de golpear uma bola por vez, tentar me focar em cada momento e ter uma estrela a apontar a direção do sonho de fechar o Slam. Estou extremamente inspirado e motivado, sem dúvida. Mas ao mesmo tempo sei como balancear tudo na parte mental, com tanta expectativa. Sem Rafa (Nadal) e Roger (Federer), muita gente vai ver meus jogos esperando de mim jogar bem e lutar pelo título".

O sérvio afirma que, apesar dessas grandes ausências, há muitos desafios pela frente. "Existem ainda jogadores de tremenda qualidade na chave e que estão em grande momento, como (Alexander) Zverev, (Daniil) Medvedev e (Stefanos) Tsitsipas. São os três com maiores chances de título, mas um Slam é um Slam, com duas semanas, jogos de cinco sets... Tudo pode acontecer".

Apesar de não ter jogado desde as Olimpíadas, Djoko acredita ter feito uma boa preparação. "Me sinto bem em quadra. Tirei um tempo a mais, não joguei Cincinnati como havia planejado, mas estava exausto em vários sentidos depois de um verão tão longo e tão bem sucedido. Não consegui a medalha, mas foi uma grande experiência dividir a Vila Olímpica, jantar com 10 mil atletas. É algo único, a se recordar para sempre";

Oito vezes finalista em Flushing Meadows, onde ganhou três troféus, Djokovic tem a marca de 75 vitórias e 12 derrotas no US Open. "Não quero falar um 'agora ou nunca' porque terei outras oportunidades de vencer um Slam, embora é claro que será difícil ter outra chance de conquistar os quatro no mesmo ano. Mas prefiro não colocar mais pressão sobre mim mesmo, que já é bem grande. Na minha carreira, me habituei a jogar sobre pressão, o que é um privilégio. É para isso que você trabalha todo dia, para criar chance de fazer história. Tentarei aproveitar".

Comentários