Notícias | Dia a dia | US Open
Laver superou amigos e chuva para fechar o 2º Slam
29/08/2021 às 08h00
Felipe Priante

Único a conseguir vencer os quatro títulos de Grand Slam em um mesmo ano em duas oportunidades diferentes, o australiano Rod Laver foi também o único homem a conseguir o feito desde o início da Era Aberta, mais precisamente no segundo ano dela. Desde 1969 mais ninguém conseguiu reunir os quatro títulos na mesma temporada, algo que o sérvio Novak Djokovic tenta fazer neste ano em Nova York.

Laver começou sua campanha no US Open de 1969 sem poder contar com a presença da esposa, que estava grávida e havia ficado em casa. “Depois que Wimbledon acabou, Mary voltou para a Califórnia e eu peguei a estrada. Ela estava com a filha Ann e havia muitas pessoas por perto, então deixamos como estava. Pensar em Mary certamente aliviou minhas preocupações sobre a conclusão do Grand Slam”, contou o australiano.

Fechar o Grand Slam no mesmo ano não era novidade para ele, que já havia conseguido o feito em 1962, ainda como amador, mas mesmo assim cuidados foram tomados, como limitar sua leitura dos jornais. “Eu não sabia o que as pessoas escreviam sobre mim nas colunas. A quantidade de repórteres era pequena, muitos não viajavam como agora, então não precisei me preocupar tanto”.

Início tranquilo
Três latino-americanos pintaram em seu caminho nas três primeiras rodadas na grama do West Side Tennis Club, batendo em sets diretos o mexicano Luis Garcia (6/2, 6/4 e 6/2) e depois os chilenos Jaime Pinto-Bravo (6/4, 7/5 e 6/2) e Jaime Fillol (8/6, 6/1 e 6/2). Nas oitavas de final, o norte-americano Dennis Ralston foi o primeiro jogador a dar trabalho a Laver, chegando a abrir um set e uma quebra à frente.

Perdendo por 2 sets a 1, foi usada uma das velhas regras amadoras, Laver e Ralston fizeram uma pausa de 10 minutos após o final do terceiro set. “Nós dois entramos no vestiário. Roy Emerson e Fred Stolle se sentaram ao meu lado e me disseram para lançar a bola mais alto, para que eu não perdesse meu primeiro saque”, lembra Laver. “Eles me deram boas dicas, pois estavam assistindo e sabiam o que estava acontecendo”.

A virada veio e o australiano triunfou com parciais de 6/4, 4/6, 4/6, 6/2 e 6/3, garantindo vaga nas quartas de final. A partir de então, as quadras do West Side Tennis Club viraram uma piscina. Seis centímetros e meio de chuva caíram em pouco mais de 24 horas. Foram dois dias e meio sem jogos que fizeram Laver buscar quadras cobertas para treinar.

Depois da longa pausa, o adversário foi o compatriota Roy Emerson, que ele derrotou três vezes a caminho de seu primeiro Grand Slam em 1962. “Ele é provavelmente meu melhor amigo”, disse o australiano, que mais uma vez saiu atrás no placar e perdeu o primeiro set, mas se recuperou e fechou o jogo com o placar final de 4/6, 8/6, 13/11 e 6/4.

Para as semifinais de sábado, a chuva voltou a ser um fator, atrapalhando o duelo de Laver com o atleta da casa Arthur Ashe. "Se fosse uma quadra difícil para mim, meu oponente estaria na mesma condição", lembrou o australiano, que marcou 8/6, 6/3 e 14/12 em partida que durou dois dias e só foi finalizada no domingo, sendo interrompida por falta de luz natural.



Final com chuva e pouco público
Finalistas do US Open, Laver e Tony Roche precisaram esperar mais uma hora e 35 minutos até a partida ser adiada para segunda-feira, novamente por causa da chuva. Um helicóptero chegou a tentar ajudar na secagem, mas foi em vão e a decisão ficou para a segunda-feira e por isso menos de 4 mil pessoas estavam nas arquibancadas. Na hora da partida a quadra de grama ainda estava bem úmida e Laver literalmente derrapava no primeiro set, tanto que perguntou se poderia usar um calçado com travas.

A mudança realmente surtiu efeito. Depois de perder o primeiro set ele deslanchou nos três seguintes e bateu Roche com parciais de 7/9, 6/1, 6/2 e 6/2, fechando o Grand Slam pela segunda vez na carreira, algo que nenhum outro homem conseguiu desde então. Jimmy Connors (1974), Mats Wilander (1988), Roger Federer (2004, 2006 e 2007), Rafael Nadal (2010) e Novak Djokovic (2011 e 2015) foram os que chegaram mais perto com três Slam num mesmo ano. O sérvio agora tenta ser o segundo deste o profissionalismo a obter o feito.

Vale ainda destacar que durante sua temporada histórica de 1969, Laver ganhou 17 títulos de simples, faturou um recorde de US$ 106.000 em prêmios em dinheiro e terminou o ano com 106 vitórias e 16 derrotas.

Comentários