Notícias | Dia a dia
Federer revela seus planos para a aposentadoria
14/08/2021 às 11h23

Basileia (Suíça) - Na semana em que comemorou seu 40º aniversário, o suíço Roger Federer falou com a imprensa local sobre seu momento. Depois de uma entrevista mais direta para o Blick, o ex-número 1 do mundo abordou assuntos ais variados na conversa com a Schweizer Illustrierte, na qual comentou sobre a festa especial de aniversário e os planos para o pós-circuito.

Ainda sem tocar em quando irá se aposentar, Federer contou o que pretende fazer quando parar com o tênis profissional. “Eu gostaria de ir ver as flores de cerejeira em Tóquio, acompanhar de perto as finais da NBA, NHL ou NFL sem ter que me perguntar como elas se encaixam no meu bloco de treinamento. Seriam experiências completamente novas”, começou o suíço.

“Também quero descobrir parques naturais impressionantes junto com meus filhos. Mirka e eu há muito tempo queremos fazer isso. Gostaria de aprender a tocar um instrumento de novo, eu tocava um pouco piano e quero experimentar o saxofone. Também gostaria de aprender a esquiar em condições de neve forte. Parei de esquiar há doze anos, quando tive mononucleose. Também pretendo experimentar o snowboard e o mergulho com cilindro pela primeira vez”, completou.

Federer revelou ter comemorado os 40 anos em uma casa alugada em Ibiza, na Espanha. “Passamos alguns dias com nossos entes queridos: Mirka, os filhos, meus pais, alguns amigos. Tudo muito tranquilo, mas foi um aniversário especial, pois geralmente meu aniversário me pega em um torneio ou no meio de alguma preparação, então não tenho festa alguma. Você acorda de manhã e diz: ‘Ah, é meu aniversário, ok’. Dessa vez foi especial, comemoramos com uma boa festa”.

Entre as muitas mensagens de parabéns recebidas, algumas se destacaram para o suíço. “Ainda fico comovido quando Sampras, Borg ou Edberg se lembram de mim. Olhei para o telefone e os três me contataram para me parabenizar praticamente ao mesmo tempo. É surreal porque eles foram meus jogadores favoritos e meus ídolos quando eu estava crescendo”, comentou o tenista da Basileia, que falou sobre como é a sensação de chegar aos 40.

“Os 40 anos estão longe dos 20. Você tem a sensação de que não é mais uma criança, que deveria se comportar ainda melhor. Quando você era criança, pensava que ter 40 anos era muito velho, mas agora não me sinto assim. Nem um pouco. É verdade que quando você ouve o número dá medo, mas no fim das contas é só mais um ano”, observou Federer.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva