Notícias | Dia a dia
Dabrowski se encanta com versatilidade de Stefani
13/08/2021 às 23h07

Parceria entre Stefani e Dabrowski colhe ótimos resultados logo no início

Foto: Reprodução/Instagram
Mário Sérgio Cruz

Montréal (Canadá) - Parceira de Luísa Stefani neste segundo semestre do circuito, a canadense Gabriela Dabrowski se encanta com a versatilidade e as qualidades do jogo da brasileira. A experiente duplista de 29 anos e número 15 do mundo entre as especialistas na modalidade vive ótimo momento ao lado de Stefani. Juntas, elas foram finalistas do WTA 500 de San Jose na semana passada e já estão na semi do WTA 1000 de Montréal. E nesta sexta-feira, obtiveram uma expressiva vitória sobre Elise Mertens e Aryna Sabalenka, principais cabeças de chave do torneio e atuais campeãs do Australian Open, por duplo 6/2.

"Luísa tem um jogo muito versátil. Ela consegue acertar todos os golpes. É muito bom ter esse arsenal como e saber que pode contar com tantas habilidades em quadra. Acho que seus pontos fortes são seus saques e voleios. Suas devoluções estão melhorando a cada dia e estou ansiosa para continuar jogando com ela e ver onde seu jogo pode chegar. Ao mesmo tempo, acho que ela tem muito potencial para ter sua própria carreira no tênis", disse Dabrowski a TenisBrasil, após a grande vitória nas quartas do torneio canadense.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Luisa Stefani (@luisastefani)

A parceria certamente irá continuar até o fim da temporada no circuito. E o rápido entrosamento é fruto de uma longa convivência nas quadras de treino. "Definimos que vamos para jogar juntas pelo resto da temporada. Depois, não faço ideia. Esta é a primeira vez que jogamos consistentemente juntas e vamos seguir até o nosso último torneio da WTA no ano".

"Acho que esses resultados aconteceram tão rápido porque somos boas amigas, treinamos muito juntas e sempre vimos uma a outra jogar. Acho que sabemos o que esperar do jogo uma da outra. Nesse sentido, embora não tenhamos disputados muitos torneios juntas, pode parecer que sim, porque passamos muito tempo juntas. Treinamos no mesmo lugar na Flórida, em Saddlebrook. Somos basicamente vizinhas, então nos conhecemos há alguns anos nos tornamos amigas mais próximas", explicou a canadense, que tem nove títulos no circuito e já foi a sétima no ranking de duplas.

Dabrowski também guarda recordações do primeiro torneio que jogou ao lado de Stefani, o WTA 500 de Ostrava no ano passado, quando elas chegaram à final e perderam justamente para Mertens e Sabalenka. "Apesar de termos perdido aquele jogo em Ostrava no ano passado, foi uma experiência de aprendizado muito boa. Embora não tenhamos jogado juntas desde então, eu realmente senti que aquela derrota ajudou a nossa mentalidade de hoje contra o mesmo time. Acho que sabíamos o que esperar em termos de obviamente do nível e quão boas elas são. Acho que tentamos controlar o jogo um pouco mais, tentando manter o saque e fazer com que elas se sentissem desconfortáveis. Funcionou hoje".

Stefani também comemorou o nível de atuação nesta sexta-feira, e destacou também o fato de Mertens ter sofrido quatro quebras de serviço. "Foi um jogo excelente do começo ao fim. Era uma dupla dura e demos conta do recado. Estou muito feliz com essa vitória. Foi de longe nosso melhor jogo até agora. Entramos bem firmes e agressivas, tanto nos games de saque quanto nos de devolução. Tínhamos o objetivo de cobrir o meio e sermos mais agressivas nos voleios. Estamos trabalhando nisso e fizemos tudo muito bem. Obviamente a Mertens não estava no melhor dia nos games de saque, mas elas são grandes jogadoras e sempre poderiam voltar ao jogo. Fiquei muito feliz como mantivemos o nível do começo ao fim".

A semifinal no Canadá será contra a cazaque Elena Rybakina e a russa Veronika Kudermetova, por volta de 20h30 (de Brasília) deste sábado. "Já joguei contra as duas, mas nunca juntas. Joguei contra a Kudermetova duas vezes nos últimos meses no saibro, em Madrid e Roma na semana seguinte. Estou bastante familiarizada com o jogo dela", disse Dabrowski. "Eu também a vi jogar na final de Wimbledon. Acho que a Luísa já jogou contra a Rybakina algumas vezes também. Elas são duas ótimas jogadoras de simples, com muita potência. Kudermetova também teve bons resultados em duplas. Eles têm jogos de base fortes e saques muito bons. Espero que possamos colocar muita pressão sobre elas amanhã e fazer a quadra parecer pequena".

Dabrowski ainda persegue seu primeiro título de Grand Slam nas duplas femininas, depois de ter disputado uma final de Wimbledon em 2019, junto da chinesa Yifan Xu. Ela tem duas conquistas nas duplas mistas, em 2017 em Roland Garros e no Australian Open do ano seguinte. 

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva