Notícias | Dia a dia
Monteiro faz teste com Hidalgo e tenta superar má fase
25/07/2021 às 00h15

Após queda na estreia nos Jogos de Tóquio, cearense segue para as quadras sintéticas norte-americanas

Foto: Gaspar Nóbrega/COB
Felipe Priante
De Tóquio, especial para TenisBrasil

Tóquio (Japão) - Eliminado na estreia em sua primeira participação olímpica, superado pelo alemão Jan-Lennard Struff em sets diretos, o cearense Thiago Monteiro tem pela frente um segundo semestre para buscar recuperação, depois de não ter obtido grandes resultados na primeira metade do ano, principalmente no saibro europeu, período no qual costuma beliscar algumas boas campanhas.

Monteiro acredita que a falta de resultados no saibro europeu se deu muito em função de ter contraído o coronavírus antes de Miami. “Acabei sofrendo duas lesões logo em seguida, não sei se consequência da infecção ou não. Tive muita dificuldade em retomar meu tênis novamente e também em pegar o ritmo naquela época de Monte Carlo e Barcelona, porque não podia voltar para o Brasil para treinar de uma forma adequada”, lamentou.

“Ia jogando e tentando me adaptar nos torneios, mas não era o ideal. Acabei somando derrotas e senti um pouco a falta de confiança, tive poucas vitórias nessa sequência de torneios que eu gosto de jogar. Perdi alguns jogos equilibrados que no momento decisivo acabaram pendendo para o outro lado, muito por causa da minha fase”, complementou o canhoto cearense.

Na busca por novidades para retomar o caminho das vitórias, Monteiro resolveu adicionar à sua equipe o espanhol Rubén Ramírez Hidalgo em período de testes. Ele encerrou a parceria com o técnico argentino Fabian Blengino no começo de junho e vinha trabalhando apenas com o também argentino Pablo Fuente, com quem já trabalhava simultaneamente.

“Quero superar essa fase e voltar mais forte. Interrompi o trabalho com um dos meus dois técnicos, já vinha trabalhando com o Blengino há três anos e queria tentar algo novo. Muitas derrotas estavam acontecendo da mesma maneira e acabei tentando ver uma nova opção. Não que seja culpa de alguém, mas foi mais para buscar uma motivação a mais e ter uma visão diferente de certos momentos do jogo”, declarou o brasileiro.

“Fiz um teste com o Ruben Ramirez Hidalgo em Bastad, na Suécia, e muto provavelmente depois do US Open vamos seguir juntos algumas semanas. Não é meu treinador oficial, continuo com Pablo Fuente e vamos ver como ele se encaixa na equipe. Ele tem muita experiência, foi top 60, enfrentou grandes jogadores e vai trazer uma visão um pouco diferente do jogo", contou o atual 95 do mundo.

Os próximos passos de Monteiro serão na temporada norte-americana de quadras duras, seguindo depois para challenger no saibro europeu. “Quero tentar entrar no quali de Cincinnati e Toronto, que fecham duro, depois Winston-Salem e US Open. Uma boa semana em um grande torneio pode mudar tudo. E depois o planejamento é ir para a Europa e jogar uma sequência de challengers grandes no saibro e tentar encaixar uns ATP”, finalizou o cearense.

Comentários
Loja - camisetas
Torneio Teodózio