Notícias | Dia a dia
Após desistências, torneio na Polônia tem 6 lucky-losers
19/07/2021 às 16h43

A anfitriã Weronika Falkowska aproveitou a chance e superou a primeira rodada em Gdynia

Foto: Divulgação

Gdynia (Polônia) - Com muitas desistências nas últimas horas, o WTA 250 de Gdynia, no saibro polonês, teve sua chave bastante modificada. O torneio tem seis jogadoras que entraram como lucky-loser, ou seja, perderam na última rodada do quali, mas herdaram vagas na chave principal. Cinco dessas desistentes disputaram finais de WTA na última semana, que teve três torneios do circuito.

Entre as ausentes estão Yulia Putintseva e Tamara Zidansek, campeãs dos torneios de Budapeste e Lausanne, também no saibro. As respectitvas vice-campeãs, Anhelina Kalinina e Clara Burel, além de Tereza Martincova, finalista no piso duro de Praga, também desistiram, assim como a suíça Stefanie Voegele, que justificou motivo de doença.

Anfitriã aproveita a chance na estreia

Entre as várias tenistas que herdaram vagas na chave, destaque para a anfitriã Weronika Falkowska, apenas 396ª do ranking, que aproveitou a chance e venceu seu jogo contra a ucraniana Kateryna Bondarenko por 6/0 e 6/2. O resultado serviu como revanche para a polonesa, que havia perdido para Bondarenko durante o quali. Ela pode enfrentar a bielorrussa Olga Govorstova ou a alemã Tamara Korpatsch.

Quem também venceu nesta segunda-feira foi a eslovaca Anna Karolina Schmiedlova, ex-top 30 e atual 123ª do ranking. A vencedora de três títulos no circuito eliminou a russa Anna Blinkova, cabeça 5, por duplo 6/3 e enfrenta a romena Ana Bondar. Outra romena a avançar foi Irina Bara, que bateu a italiana Federica Di Sarra por 6/3, 1/6 e 7/5. Ela enfrenta a eslovaca Kristina Kucova.

Só três lucky-losers venceram torneios da WTA
As demais lucky-losers no torneio são as russas Amina Anshba, Anastasia Zakharova e Marina Melnikova, além da norte-americana Jamie Loeb e da croata Tereza Mrdeza.

Na história do circuito da WTA, três jogadoras já conquistaram títulos como lucky-losers nos torneios. A primeira foi Kay McDaniel, no ano de 1980, em Atlanta. Os dois últimos casos são muito recentes, com a sérvia Olga Danilovic no saibro de Moscou em 2018, e também com a promessa norte-americana Coco Gauff, que tinha apenas 15 anos na campanha para seu primeiro título no circuito, nas quadras duras e cobertas de Linz em 2019.

Comentários
Loja - camisetas
Torneio Teodózio