Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Djokovic mira recorde, mas Berrettini chega confiante
10/07/2021 às 19h34

Djokovic precisa de mais uma vitória para chegar ao 20º título de Grand Slam

Foto: AELTC

Londres (Inglaterra) - Cada vez mais motivado pela conquista de recordes e feitos históricos no tênis, Novak Djokovic está a uma vitória do 20º título de Grand Slam, o que o faria se igualar aos rivais Roger Federer e Rafael Nadal. Mas para isso, o sérvio precisa superar o confiante italiano Matteo Berrettini, número 9 do ranking, na final marcada para às 10h (de Brasília) deste domingo.

Aos 34 anos, Djokovic disputará sua 30ª final de Grand Slam e a sétima em Wimbledon. O número 1 do mundo tem cinco títulos nas quadras de grama do All England Club e só perdeu uma final em Londres em 2013, para o anfitrião Andy Murray. O experiente sérvio pode conquistar seu oitavo Slam após os 30 anos e se tornar o segundo campeão mais velho da história do torneio.

Caso conquiste seu sexto troféu em Wimbledon, Djokovic deixará para trás os pentacampeões Bjorn Borg e Laurie Doherty e ficaria a uma conquista de igualar as marcas de William Renshaw e Pete Sampras. O recordista é Roger Federer, oito vezes campeão do Grand Slam londrino. Vencedor das duas últimas edições do torneio, disputadas ainda em 2018 e 2019, pode ser o quarto jogador na Era Aberta a vencer três títulos seguidos em Londres.

Berrettini é o primeiro italiano na final de Wimbledon
Já Berrettini disputará sua primeira final de Slam na carreira aos 25 anos. O italiano carrega uma invencibilidade de 11 jogos na grama em 2021. Há três semanas, conquistou o maior título da carreira no ATP 500 de Queen's, também em Londres. Primeiro atleta de seu país a alcançar uma final de Wimbledon, Berrettini pode se tornar apenas o terceiro homem italiano a ganhar um Grand Slam em simples, sendo o segundo na Era Aberta do tênis. O campeão mais recente foi Adriano Panatta, no saibro de Roland Garros em 1976.

Quanto vale o título de Wimbledon?
É certo que Djokovic irá manter a liderança do ranking mundial após o torneio. Ele já é o recordista de tempo como número 1 da ATP, tendo iniciado Wimbledon acumulando 327 semanas no topo do ranking. Já Berrettini está subindo uma posição no ranking e pode assumir o sétimo lugar se for campeão. O título em Wimbledon vale 2 mil pontos no ranking e 1,7 milhão de libras esterlinas. O vice-campeão recebe 1.300 pontos e 900 mil libras esterlinas.

Sérvio venceu os dois encontros anteriores
O histórico de confrontos é melhor para Djokovic, que venceu os dois duelos anteriores. O primeiro aconteceu no ATP Finals de 2019. Já o mais recente aconteceu este ano, nas quartas de final de Roland Garros, com vitória do sérvio em quatro sets.

Frases dos finalistas
Djokovic destaca a boa fase de Berrettini, mas aposta na experiência para tentar vencer o jogo. "Tudo é possível em uma final. Obviamente, a experiência está do meu lado. Mas Berrettini vem ganhando muitas partidas em quadras de grama este ano e venceu o ATP de Queen's. Ele está em ótima forma, está sacando muito e jogando bem", comentou após a vitória sobre Denis Shapovalov na semifinal. "Ele é indiscutivelmente o cara que tem estado na melhor forma em quadras de grama este ano, está voando. Vai ser uma grande batalha".

Já Berrettini comemora a boa campanha e quer ir além. "Eu sabia que poderia chegar até aqui, mas dei cada passo com muito cuidado e devagar. Acho que foi a coisa certa. Obviamente, o trabalho ainda não acabou. Agora que estou aqui, quero ganhar o troféu", disse de vencer a semi contra o polonês Hubert Hurkacz. O italiano também compara o momento atual com sua primeira semi de Slam, no US Open de 2019. "É diferente do US Open. Antes do torneio, sentia que agora eu sou um jogador melhor. Tenho mais experiência e mais vitórias nos ombros".

Confira o histórico de duelos entre Djokovic e Berrettini

2021 - Roland Garros - saibro - quartas - Novak Djokovic, 6/3 6/2 6/7(5) 7/5
2019 - ATP Finals - sintético (coberto) - fase de grupos - Novak Djokovic, 6/2 6/1

Comentários