Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Shapovalov chega confiante para semi com Djokovic
07/07/2021 às 18h54

Shapovalov busca uma vitória inédita após seis derrotas para o sérvio

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Garantido em uma semifinal de Grand Slam pela primeira vez em sua carreira profissional, Denis Shapovalov chega confiante para o duelo com Novak Djokovic na próxima sexta-feira. Apesar de nunca ter vencido o sérvio em seis confrontos entre eles, o canadense de 22 anos e 12º do ranking tenta aproveitar o embalo das vitórias expressivas sobre Andy Murray, Roberto Bautista Agut e Karen Khachanov em Londres. 

"Ele é o melhor jogador do mundo, mas acho que tudo é possível. Quando você olhar para o placar no início do jogo de sexta-feira, vai estar 0 a 0. Nada mais importa. É uma partida de tênis e pode ir para qualquer lado. Tenho plena confiança na minha equipe", disse Shapovalov, que busca sua primeira final de Slam. "Tenho uma partida super difícil pela frente, mas eu acredito em mim e no meu jogo. Acho que tenho jogado um tênis muito bom e não foi fácil vencer todos esses jogadores. Portanto, acredito totalmente que poderei vencer na sexta-feira".

"Acho que quando você está nas semifinais de um torneio, não há nenhum azarão em quadra. Honestamente, foi ótimo. Mesmo hoje, quando joguei o quinto set, eu me senti super bem em quadra. Espero que isso continue", acrescentou o canadense, depois de superar Khachanov nesta quarta-feira por 6/4, 3/6, 5/7, 6/1 e 6/4 em 3h26 de partida.

Canadense espantou fantasma do quinto set
A vitória nas quartas em Wimbledon também espantou um fantasma do passado para Shapovalov. Em sua primeira aparição nas quartas de final de um Grand Slam, no último US Open, ele também teve uma batalha de cinco sets e foi superado pelo espanhol Pablo Carreño Busta. "Eu estava em uma posição semelhante contra Carreño Busta no US Open do ano passado. Ganhei o quarto set com muita facilidade e depois relaxei um pouco, pensando que estava tudo sob controle, mas as coisas meio que mudaram rapidamente".

"Então, eu sabia que precisava deixar tudo o que tenho em quadra durante o quinto set e lutar por cada golpe e cada devolução. Essa é a diferença que fiz", explica o jovem jogador de 22 anos. "Depois do quarto set, disse a mim mesmo, só aproveitando a experiência do US Open, que eu precisava começar bem o último set. Acho que isso fez o meu jogo melhorar e é algo que me deixa super orgulhoso de mim mesmo.

Melhora no saque foi fundamental para a virada
Shapovalov não enfrentou break-points nos últimos dois sets e só perdeu nove pontos em seus games de serviço somando as duas parciais. "Eu sabia que precisava sacar bem, ser agressivo e ditar os pontos. Caso contrário, ele iria ganhar a partida. Mas isso é muito natural para mim. Sempre fui um jogador agressivo. Acho que o quinto set é onde saquei melhor, para ser honesto. Minha porcentagem de primeiro serviço e a velocidade dos meus saques aumentaram. Acho que foi uma batalha muito dura, mas estou muito orgulhoso".

Comentários