Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Djokovic destaca a difícil adaptação ao vento
07/07/2021 às 18h35

Londres (Inglaterra) - As condições climáticas foram novamente um desafio para o sérvio Novak Djokovic. Diante de fortes rajadas de vento na Quadra Central durante todo o jogo diante do húngaro Marton Fucsovics, ele afirmou que o segredo foi achar a melhor adaptação.

"Acho que foi um dos dias com mais vento que já presenciei em Wimbledon", opinou. "Não me recordo de um dia com mais vento do que hoje. Então o que restou foi se adaptar. Você perde um tanto do tempo dos golpes, o lançamento da bola para sacar, tudo fica diferente. É um desafio mental, porque não tem como se sentir cômodo".

Diante disso, a vitória em sets diretos foi muito bem vinda. "Foi uma performance sólida e acho que comecei o jogo realmente bem", avaliou o número 1, que chegou a abrir 5/0 no set inicial antes de pequena reação do adversário. "Uma quebra de serviço no segundo e outra no terceiro set foram suficientes hoje e quero dar créditos a Marton por ter lutado tanto".

Djokovic também somou a 32ª vitória em suas 35 partidas já disputadas na temporada, incluindo os títulos nos dois primeiros torneios de Grand Slam, o que permite que mantenha a liderança do ranking com folga após Wimbledon.

Questionado sobre como está após cinco rodadas, o sérvio foi direto: "Estou muito satisfeito com a forma com me encontro, de como estou batendo na bola. Muita confiança. Joguei muito tênis nos últimos meses, então acho que fiz a preparação certa para Wimbledon e quanto menos eu ficar em quadra a cada jogo, mais energia guardada para os jogos importantes".

Seu adversário de sexta-feira será o jovem canadense Denis Shapovalov, a quem já derrotou seis vezes, mas Djokovic conhece o potencial do canhoto: "Sua evolução no circuito tem sido constante, embora muitos já pensassem que ele deveria estar no top 5 ou top 10. O que estava faltando eram grandes partidas e acho que está ficando maduro. Tem um bom saque e se sente à vontade junto à rede. Melhorou também na movimentação e assim comete menos erros, que era um de seus maiores problemas. Tenho certeza de que será o rival mais perigoso que tive até agora no torneio".

Comentários