Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Invicta há 10 jogos na grama, Kerber desafia a nº 1
06/07/2021 às 17h51

Kerber tem duas vitórias e duas derrotas contra Barty no circuito

Foto: AELTC

Londres (Inglaterra) - Mais experiente entre as quatro semifinalistas de Wimbledon, Angelique Kerber tenta voltar a conquistar o Grand Slam londrino depois de três temporadas. Além disso, a experiente jogadora de 33 anos carrega uma invencibilidade de dez jogos na grama, já que foi campeã do WTA de Bad Homburg na semana anterior. Kerber agora tem a missão de desafiar a australiana Ashleigh Barty, número 1 do mundo, em busca de uma vaga na final.

"Estou realmente ansiosa para jogar contra a Ash. Ela jogou tão bem nos últimos meses e sei que tenho que jogar meu melhor tênis. Ela tem muita confiança agora e vai me pressionar a dar tudo de mim", disse Kerber, que tem duas vitórias e duas derrotas contra Barty no circuito. "Eu tenho que jogar meu próprio jogo, ser agressiva e tentar ter a partida mais em minhas mãos. Mesmo se eu errar algumas bolas, eu tenho que ficar lá tentando para empurrá-la".

Ex-número 1 do mundo e vencedora de três Grand Slam, Kerber aparece atualmente apenas na 28ª posição do ranking. Ela está assumindo o 22º lugar com a semifinal, podendo voltar ao top 20 se for finalista e ao top 10 em caso de título. "Os últimos meses foram realmente difíceis. Mas eu sabia que tinha que ficar calma e positiva. Nunca parei de acreditar em mim mesma, no meu time e em como posso jogar. Eu amo esse esporte, e amo jogar novamente com torcida. Acho que isso me empurrou a jogar o meu melhor tênis agora".

"É por causa da grama que estou jogando muito melhor. Eu estava tão animada para voltar a esta superfície, após os cancelamentos [por Covid] do ano passado. Eu realmente trabalhei muito nos últimos meses e semanas e estou muito feliz por jogar novamente, lutando até a última bola, e curtindo o meu tempo dentro e fora da quadra. É um lugar mágico. E chegar aqui com um título recente me dá a confiança de que a grama é realmente a minha superfície", explica a alemã, que derrotou a tcheca Karolina Muchova nas quartas de final por 6/2 e 6/3.

Kerber também conta que as conquistas do passado são fonte de motivação. "É uma sensação muito boa ter o troféu de Wimbledon nas mãos. Quando eu era criança, eu realmente queria jogar meu melhor tênis aqui. Agora estou de volta depois de um momento muito difícil. Eu não estava jogando bem nos últimos meses. Mas sempre acreditei que posso voltar porque sei o que posso fazer. Olhando para trás, sempre tive altos e baixos, e sempre tento voltar mais forte. Tentei fazer isso de novo este ano. E aqui estou eu".

Comentários