Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Djoko diz que não foi tão bem e destaca mudanças
02/07/2021 às 19h10

Djokovic começou atrás na terceira parcial e chegou a salvar um set-point

Foto: AELTC

Londres (Inglaterra) - Apesar de ter vencido em sets diretos seu terceiro compromisso em Wimbledon, Novak Djokovic não saiu de quadra tão satisfeito com seu nível de tênis apresentado nesta sexta-feira, diante do norte-americano Denis Kudla. O sérvio acredita que não foi tão consistente em seus games de serviço e precisou até mesmo salvar um set-point na última parcial.

"Não posso dizer que estou muito satisfeito com a forma como joguei. Senti que hoje estava um pouco desligado, especialmente nos games de serviço. Normalmente, o meu saque funcionou muito bem nas duas primeiras partidas, e geralmente meu saque é uma arma. Mas não foi hoje", disse Djokovic, após a vitória sobre Kudla, 114º do ranking, por 6/4, 6/3 e 7/6 (9-7) em 2h17 de partida.

"Obviamente alguns momentos da partida foram bons, mas geralmente eu não tinha o melhor ritmo do meu jogo. Mas é o que é. Não quero falar de coisas negativas. Acabei de vencer em sets diretos", acrescentou o líder do ranking, que enfrentou quatro break-points na partida e sofreu duas quebras, além de começar o terceiro set perdendo por 3/0. Até por isso, ele precisou fazer mudanças táticas, e comemorou o bom resultado.

"Tive que diminuir o ritmo do jogo, porque ele estava usando muito bem algumas bolas mais retas do fundo de quadra. Ele tem um equilíbrio muito bom. Acho que seu backhand e forehand também são bem planos e que ele se move muito bem nas quadras de grama. Ele é um jogador muito bom", explicou o sérvio, que agora enfrenta o chileno Cristian Garin, número 20 do mundo, nas oitavas de final.

Djokovic também falou sobre a reação vibrante que teve em momentos importantes da partida. "Acho que parte disso são os genes da minha família, porque eu cresci em tempos difíceis para meu país durante os anos 90 e acho que o fracasso nunca foi uma opção para mim ou para qualquer pessoa da minha família", disse o experiente jogador de 34 anos.

"Nós apenas tínhamos que encontrar basicamente as necessidades básicas para sobrevivermos naqueles tempos. Foi difícil, e acho que fortaleceu meu caráter. E parte disso também vem da minha educação nas montanhas. Passei muito tempo nas montanhas com lobos, então esta é uma energia do lobo".

Comentários