Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Serena não vai a Tóquio e espera Wimbledon duro
27/06/2021 às 09h47

Londres (Inglaterra) - Dona de quatro medalhas de ouro, uma em simples, Serena Williams confirmou que não irá disputar os Jogos de Tóquio, o que certamente significa o fim de seu ciclo olímpico. Perto de completar 40 anos, a norte-americana se esquivou de dar motivos para a decisão. "Se não estou na lista olímpica é por algum motivo. Há muitas razões para tomar essa decisão, mas prefiro não entrar na questão neste momento. Talvez outro dia. Tenho um histórico maravilhoso nos Jogos, mas prefiro nem pensar nisso", afirmou a campeã de Londres-2012 em simples e duplas.

Serena procurou focar na sua tarefa imediata que é a tentativa de um novo título em Wimbledon, troféu que já ergueu por sete vezes, a última delas em 2016. "Apesar das baixas importantes que teremos nesta edição, continua um torneio duro, não importa contra quem jogue. Estarei obrigada a mostrar meu melhor nível e nada lhe dá garantia de vitória. Todas estão jogando muito firme, duro, estão preparadas para ganhar. Mas isso tudo me fez melhor, acho que sou marcada com um X desde que venci o US Open de 1999 e então estou acostumada que todas me encarem de forma firme a cada jogo, a cada torneio. Te levam ao limite, mas também te fazem melhorar".

Questionada como vê a vida útil dos tenistas cada vez mais longa, Serena se comparou a Roger Federer, que também chegará aos 40 um mês antes dela. "A tecnologia ajuda muito a aumentar as carreiras, principalmente a forma com que nos recuperamos mas até mesmo no calçado ou na roupa. Isso contribui para que a gente consiga seguir no circuito, tanto a Roger (Federer) quando a mim. Era normal chegar ao ápice aos 29, 30 anos. Depois passou aos 32 e agora vemos jogadores rendendo o máximo após isso".

A dona de 23 Grand Slam afirmou ter conversado recentemente com Novak Djokovic sobre a criação da entidade paralela dos tenistas, a PTPA, mas também não entrou em detalhes sobre as propostas ou do seu apoio. "Conversei com Novak sobre a PTPA, ainda que não tive tempo de organizar meus pensamentos. Ele está ouvindo muita gente para ter diferentes opiniões e assim entender o que pode proporcionar aos jogadores".

Por fim, Serena destacou que há um clima diferente no torneio em função da pandemia e das diversas restrições. "É diferente agora caminhar por aqui, sinto que as coisas mudaram, mas ainda é uma sensação muito especial. Só o fato de pisar na grama é algo incrível. É um Grand Slam único, sempre penso na quantidade de história que se passou por aqui".

Comentários