Notícias | Dia a dia
Jabeur faz história como a 1ª campeã árabe na WTA
20/06/2021 às 11h49

Tunisiana de 26 anos entra para a história do tênis com a conquista na grama de Birmingham

Foto: LTA

Birmingham (Inglaterra) - A final do WTA 250 de Birmingham neste domingo entrou para a história do tênis. O título da tunisiana Ons Jabeur fez dela a primeira jogadora de seu país e também a primeira árabe a vencer um torneio deste porte. Jabeur superou na decisão a russa Daria Kasatkina por 7/5 e 6/4 em 1h33 de partida disputada na grama.

Atualmente com 26 anos, Jabeur está com o melhor ranking da carreira, no 24º lugar, depois de uma boa campanha até as oitavas em Roland Garros. Ela havia perdido suas duas primeiras finais de WTA, uma ainda em 2018, nas quadras duras e cobertas de Moscou, para a própria Kasatkina. Já na atual temporada, a tunisiana ficou com o vice no WTA 250 de Charleston, em quadras de har-tru (saibro verde).

"Estou muito orgulhosa e quero agradecer a todo meu time. Eu lutei muito, já havia perdido duas finais, e foi muito difícil para mim vencer um título de WTA. Eu estava pensando hoje de manhã se eu iria passar à noite comemorando ou se estaria chorando, decepcionada", disse Jabeur, durante a cerimônia de premiação em Birmingham.

"Eu sabia que eu precisava ser agressiva e vencer esse WTA para dar o exemplo. Não há muitas jogadoras tunisianas ou árabes no circuito. Eu quero ver mais meninas de lá jogando comigo", acrescentou a jogadora de 26 anos, preocupada com o desenvolvimento do tênis em sua região.

Já Kasatkina tentava dar sequência a uma boa temporada de recuperação no circuito, após ter vencido um WTA 250 em Melbourne e um WTA 500 em São Petersburgo. Ex-top 10 e atual 35ª do ranking aos 24 anos, a russa disputou sua oitava final da carreira e buscava o quinto título no circuito.

"Contra a Dasha [Kasatkina], você tem que lugar para ganhar todos os pontos. A última vez que jogamos foi em Moscou, ela venceu e eu estava chorando. Foi uma grande batalha. Lembrando de dizer a ela: 'Você pode, por favor, compartilhar alguns títulos comigo, ou pelo menos me deixar vencer o meu primeiro WTA?'", relembrou Jabeur, que também destacou o difícil primeiro set da partida. "Eu sabia que seria difícil, mas quando sofri uma quebra, pensei em continuar me concentrando em quebrá-la novamente, apenas jogando meu jogo".

No encontro entre duas jogadoras com muitos recursos técnicos, Jabeur e Kasatkina apostaram nas variações de altura e peso de bola, recorrendo em muitos momentos aos slices e curtinhas. Por duas vezes, a tunisiana esteve com uma quebra de vantagem e chegou a liderar por 5/3. Kasatkina salvou três set-points quando a rival sacava para o set e buscou o empate, mas voltaria a perder o saque logo na sequência.

Jabeur iniciou o segundo set em grande estilo e abriu 4/0. Logo depois, Kasatkina precisou de um atendimento médico inusitado. Enquanto a russa manifestava sua frustração em quadra, acabou arranhando o pescoço e recebeu um curativo no local. A parada no jogo acabou sendo benéfica para a ex-top 10, que devolveu uma das quebras, mas a vantagem construída por Jabeur foi suficientemente confortável até o fim do jogo.

Vice-campeonato da tunisiana nas duplas
A festa de Jabeur só não ficou completa, porque ela perdeu a final de duplas neste domingo. A tunisiana jogou ao lado da australiana Ellen Perez e ficou com o vice-campeonato, superada pelas tchecas Marie Bouzkova e Lucie Hradecka por 4/6, 6/2 e 10-8. Este foi o segundo título da parceria tcheca, repetindo o que já havia acontecido em Charleston. Bouzkova, de 22 anos, tem agora três títulos de duplas no circuito. Já a veterana Hradecka, de 36 anos, comemora seu 25º título.

Comentários
Loja - camisetas
Tennis Camp