Notícias | Dia a dia
Surpresa russa assombra favoritas em Berlim
19/06/2021 às 19h23

Vinda do quali, Liudmila Samsonova venceu seis jogos seguidos para chegar à final em Berlim

Foto: Bett1 Open

Berlim (Alemanha) - Principal surpresa nesta semana do circuito, a russa Liudmila Samsonova faz uma campanha impressionante até a final do WTA 500 de Berlim, em quadras de grama. Samsonova, de 22 anos e apenas 106ª do ranking, veio do qualificatório e já venceu seis jogos seguidos. Com estilo de jogo agressivo e muito peso de bola, a russa eliminou outras jogadoras de golpes muito potentes como Ana Konjuh, Madison Keys, além da ex-número 1 Victoria Azarenka, superada na semifinal deste sábado. Ela agora se prepara para a final contra a suíça Belinda Bencic, 12ª do ranking, prevista para às 10h30 (de Brasília) de domingo.

"É inacreditável! Essa é a semana mais importante da minha vida até este momento. Tudo é muito novo e estou muito feliz por isso. Não acredito no que consegui fazer. Sempre sonhei em jogar um torneio como este", disse Samsonova, após sua vitória sobre Azarenka na semifinal por 6/4 e 6/2 em apenas 1h06 de partida. Ela disparou 11 aces e fez 24 winners contra apenas 14 bolas vencedoras da bielorrussa, e cometeu somente seis erros não-forçados, diante de dez da rival.

Antes de sua excelente semana em Berlim, Samsonova sequer tinha vitórias na grama em chaves principais de WTA, tendo caído na estreia de Nottingham em 2019 e disputados os qualis de Birmingham e Wimbledon. Sua melhor campanha na elite do circuito havia sido uma semifinal no saibro de Palermo, há dois anos. No entanto, a russa não vinha de bons resultados nas últimas semanas, já que não passou da primeira rodada do quali em Roland Garros, caiu nas quartas de um ITF W25 em Grado, na Itália, e nas oitavas de um torneio da série 125 da WTA em Bol, na Croácia.

A trajetória nas quadras de grama na capital alemã começou começou com vitória sobre a jovem promessa local de 17 anos  Noma Noha Akugue. E logo depois, ela passou pela ex-top 20 Ana Konjuh. Veio então a chave principal e uma semana com mais quatro vitórias bastante expressivas. A primeira vítima foi a tcheca Marketa Vondrousova, 41ª do mundo e finalista de Roland Garros em 2019. Já nas oitavas, venceu um duelo russo contra Veronika Kudermetova, 32ª do ranking.

No duelo das quartas contra Madison Keys, 28ª do mundo, Samsonova chamou atenção por colocar uma das jogadoras mais agressivas do circuito em posições desconfortáveis. Keys, que sempre bate muito forte na bola dos dois lados, precisou recorrer até mesmo a alguns slices de backhand para lidar com o peso de bola da russa e também não encontrava tantas respostas para o saque da adversária. O jogo foi equilibrado e a russa venceu por 7/6 (7-4), 2/6 e 7/6 (7-0). Já na semi contra Azarenka, a russa impôs seu jogo agressivo desde o início e não deu ritmo à experiente jogadora de 31 anos e 16ª do ranking.

O triunfo sobre Azarenka foi apenas o segundo de Samsonova contra adversárias do top 20. O primeiro aconteceu em março deste ano, quando a russa derrotou a então número 11 do mundo Kiki Bertens em Miami. Ela agora tenta superar Bencic em busca de seu primeiro título no circuito. "Nunca joguei contra Belinda antes. Mas tenho certeza de que será uma partida difícil, porque ela joga muito bem nesta superfície e é uma ótima tenista. Vou tentar dar o meu melhor e focar no meu jogo".

Final garante salto no ranking e chegada ao top 100
Pela campanha em Berlim, Samsonova já está acumulando 330 pontos no ranking, sendo 305 pelas quatro vitórias da chave principal e mais 25 por ter furado o quali. Com isso, ela não apenas entra no top 100 como já consegue se firmar entre as 80 melhores do mundo. Se for campeã, termina a semana com 495 pontos e se aproxima da 65ª posição.

Bencic disputa sua quarta final em quadras de grama 

Adversária de Samsonova na decisão, Belinda Bencic chega como favorita à final. A suíça de 24 anos disputará sua 12ª final da carreira e busca o quinto título no circuito. Jogando em quadras de grama, ela já foi campeã do torneio de Eastbourne em 2015 e disputou outras duas finais, em 's-Hertogenbosch (2015) e Mallorca (2019).

"Sempre tento jogar o máximo possível de torneios na grama porque adoro a superfície", disse Bencic após a vitória na semifinal contra a francesa Alizé Cornet por 7/5 e 6/4. "É claro que isso me dá muita confiança. É sempre bom ter essa confirmação de que meu jogo está funcionando bem na na grama".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva