Notícias | Dia a dia
Murray: 'Ninguém está me obrigando a jogar'
14/06/2021 às 18h22

Murray estreia nesta terça-feira no ATP 500 de Queen's, em Londres

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Cinco vezes campeão do ATP 500 de Queen's, em Londres, Andy Murray estreia nesta terça-feira no torneio em quadras de grama. O ex-número 1 do mundo entra em quadra por volta das 11h (de Brasília), contra o francês Benoit Paire, 46º colocado. Apesar de já estar com 34 anos e ocupando apenas o 124º lugar no ranking da ATP, Murray rechaça as hipóteses de aposentadoria e diz que continua jogando por amor ao tênis.

"Muita gente fala que eu preciso parar de jogar tênis, porque é triste, e elas não querem me ver jogar assim. E eu digo: 'Não fique triste por mim! Eu gosto de jogar, eu que escolhi isso. Ninguém me está a obrigando jogar'. O esporte é estranho às vezes. As pessoas parecem desesperadas para que você se aposente e deixe de fazer o que você gosta", disse Murray, em entrevista o jornal Guardian.

+ Murray viaja a Roma para treinar com Djokovic
+ Murray: 'Não há motivo para eu parar de jogar'

+ 'Ainda posso jogar os torneios grandes', diz Murray

O britânico também falou sobre o momento de sua carreira durante a entrevista coletiva de apresentação do torneio. "A razão pela qual ainda estou no circuito é porque adoro jogar tênis. Falei com alguns dos meus ex-técnicos que foram jogadores, e perguntei a eles sobre quando pararam de jogar e como foi o final das suas carreiras. Por unanimidade, todos eles disseram que era extremamente difícil parar de jogar e que o nosso conselho seria 'jogue o máximo de tempo possível'".

Bom nível nos treinos motiva o britânico
Como já tem sido comum ao longo dessa temporada, Murray afirma que tem feito bons treinos contra jogadores de alto nível e que isso o motiva a seguir em atividade. "Sei que ainda posso competir contra os melhores jogadores do mundo. Tenho feito isso consistentemente nos treinos ao longo destes últimos seis meses e certamente, na grama, não vejo porque não", comentou o bicampeão de Wimbledon.

"O ponto de interrogação é obviamente se o corpo se aguenta", ponderou o jogador de 34 anos. "Não posso dizer com grande certeza se isso vai acontecer agora, pois tenho me sentido bem em diferentes momentos ao longo dos últimos nove meses, mas então acontece alguma coisa, como em Miami. Pelos treinos, posso dizer que o meu tênis está num bom nível. Mas fisicamente, preciso aguentar enquanto jogo", lembrou Murray, que este sofreu uma lesão na virilha às vésperas do Masters 1000 de Miami.

"A minha prioridade é que eu seja saudável, o meu foco está nisso. Sei que ainda posso jogar tênis de alto nível. Estou em boa forma em termos de todos os dados dos meus testes físicos, mas preciso de ser capaz de levar isso para os jogos de tênis, e eu não tenho sido capaz de fazer isso. Então, não quero prometer nada pois nem sequer conheço a mim mesmo".

Comentários
Loja - camisetas
Torneio Teodózio