Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Pavlyuchenkova afirma que físico foi obstáculo extra
13/06/2021 às 10h59

Paris (França) - Vice-campeã de Roland Garros em sua primeira final de Grand Slam da carreira, a russa Anastasia Pavlyuchenkova contou após a derrota na final para a tcheca Barbora Krejcikova que o lado físico foi um obstáculo a mais entre tantos que enfrentou nestas duas semanas em Paris e acredita que acabou atrapalhando um pouco seu desempenho na decisão de sábado.

“Não mencionei isso antes porque ainda estava no torneio e não queria que meus rivais ouvissem. Na partida contra Sabalenka, eu estava realmente com muitos problemas físicos e nem sei como venci”, afirmou a tenista de 29 anos, revelando que o problema na perna esquerda já vinha desde sua vitória na terceira rodada do torneio.

Pavlyuchenkova contou que há muito tempo luta com os joelhos, principalmente com o esquerdo. “Causou muita dor nos joelhos tentar compensar a lesão (na perna esquerda). Na verdade, no terceiro set contra Sabalenka eu estava pensando: 'se ganhar este jogo, vou chorar’. Eu estava jogando bem, mas meu corpo estava me dizendo que não queria continuar”, lembrou.

+ Pavlyuchenkova minimiza polêmica do match-point
+ Krejcikova diz que título motiva a trabalhar mais

“Quanto mais você joga, pior fica o seu corpo. Quando caía após o saque, minha perna doía muito. Tive que fazer um curativo (na final). Com 4/3 perdi meu saque quando estava contra o vento. Senti que precisava mais do meu serviço nesses momentos. Ela aproveitou essa circunstância do vento e jogou de forma mais sólida na reta final”, acrescentou a russa.

O vice deixou aquela sensação misturada de orgulho pela campanha e frustração pela derrota. “Nunca é fácil ficar com o vice-campeonato, mas tenho que agradecer essas duas semanas fantásticas. Devo dizer que, algumas semanas antes de Madri, meu irmão me disse, sentado bebendo café, que acreditava muito em mim e que eu iria muito bem nos torneios seguintes”, disse.

"Falei para ele que também acreditava em mim, mas ainda não me via na minha melhor forma física. Depois disso, cheguei às semifinais em Madrid e agora a final em Roland Garros, algo totalmente inesperado para mim. Tive um longo e difícil caminho até a final, foi torneio a torneio, partida por partida. Essa foi a chave, confiei em mim e encontrei meu jogo”, finalizou Pavlyuchenkova.

Comentários