Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Com virada histórica, Djokovic derruba Nadal em RG
11/06/2021 às 18h22

Djokovic impôs apenas a terceira derrota de Nadal em Roland Garros

Foto: FFT

Paris (França) - A semifinal entre Novak Djokovic e Rafael Nadal em Roland Garros foi histórica por diferentes motivos. Líder do ranking mundial, o sérvio impôs uma raríssima derrota ao espanhol na quadra Philippe Chatrier. Além disso, o brilhantismo da partida desta sexta-feira fez com que a organização do torneio flexibilizasse o 'toque de recolher', previsto para às 23h (locais), com a anuência das autoridades de saúde, para que os torcedores continuassem no estádio. Djokovic começou atrás no placar, mas conseguiu a vitória de virada, com parciais de 3/6, 6/3, 7/6 (7-4) e 6/2 em 4h11 de jogo.

Com o resultado, Djokovic impõe apenas a terceira derrota de Nadal em 108 jogos disputados em Roland Garros. Treze vezes campeão do torneio, entre 2005 e 2020, o espanhol havia perdido para o sueco Robin Soderling nas oitavas de final de 2009 e para o próprio Djokovic nas quartas em 2015. Sempre que foi semifinalista em Paris, Nadal havia conquistado o título no Grand Slam francês.

Além disso, o número 1 do mundo mantém sua vantagem no histórico de confrontos contra seu maior rival no circuito. Este foi o 58º encontro entre Djokovic e Nadal, e o sérvio agora lidera por 30 a 28. No saibro, entretanto, o espanhol tem 19 vitórias e apenas oito derrotas. A rivalidade entre eles é a com maior número de duelos na Era Aberta do tênis masculino.

Vencedor de 18 títulos de Grand Slam, um deles em Paris no ano de 2016, Djokovic terá a chance de reduzir a diferença para Roger Federer e Rafael Nadal, ambos com 20 conquistas. O sérvio de 34 anos disputará sua 29ª final em torneios deste porte e a sexta em Paris. Ele enfrenta no domingo o grego Stefanos Tsitsipas, de apenas 22 anos e número 5 do mundo, que disputa uma inédita final de Slam. Djokovic lidera o histórico de confrontos contra Tsitsipas por 5 a 2.

Nadal dominou as ações no início do jogo e abriu 5/0
O jogo começou com um game de nove minutos, em que Djokovic devolveu bem recuado o primeiro serviço e teve duas oportunidades de quebra. Errou um smash fácil e daí em diante pareceu perder confiança. Muito firme com o forehand e com saque preciso nas horas importantes, Nadal disparou no placar e chegou a ter 5/0. Depois de evitar o 'pneu', o sérvio ficou mais solto, voltou a atacar pelas paralelas, mas não fez o bastante para evitar a queda num longo set de 59 minutos.

Djokovic começou o segundo set mais firme, mas precisou de duas quebras para enfim tomar a dianteira efetiva no placar. O jogo passou a ser basicamente um sérvio procurando ser mais ofensivo e Nadal na luta pelos contragolpes. Mas a conta foi muito mais favorável ao número 1, que anotou nesse set mais winners (10 a 7) e menos erros (10 a 12).

Mais equilibrado, terceiro set foi definido no tiebreak
O terceiro set foi uma batalha de 80 minutos, decidida em mínimos detalhes. Djokovic por duas vezes ficou à frente do placar, mas não conseguiu concretizar a liderança. Ele pressionava constantemente os games de saque de Nadal, mesmo no primeiro serviço do espanhol. A parcial teve pontos longos, games muito disputados e lances espetaculares o tempo inteiro.

Djokovic atacou sempre o backhand do adversário e chegou a liderar por 5/3, mas não aproveitou a chance de sacar para fechar. Dois games mais tarde, enfrentou um set-point em seu serviço, quando perdia por 6/5, e escapou com uma brilhante bola curta. A decisão foi a um tenso tiebreak, onde ele saiu na frente, permitiu empate e acabou premiado com um erro incrível de Nadal num voleio. Num set de 96 pontos, Djokovic cometeu apenas 10 erros, um número e tanto.

Toque de recolher foi suspenso em Paris

Antes do quarto set começar, a organização do torneio fez um anúncio de que o toque de recolher havia sido suspenso. O público que continuou no estádio vibrou com a decisão, cantou a Marselhesa (hino francês) e até ovacionou o presidente do país, Emmanuel Macron. Ainda assim, houve uma pequena paralisação na partida, para que os dois jogadores fossem aos vestiários.

Em quadra, Nadal foi o primeiro a quebrar e chegou a abrir 2/0. O que parecia ser o prenúncio de um quinto set foi brecado por uma reação espetacular de Djokovic, que seguia  forçando paralelas e sacando com inteligência. Novamente foi muito firme, o sérvio cometeu apenas cinco erros e venceu seis games seguidos para fechar o jogo. 

Djokovic liderou a estatística de winners da partida por 50 a 48 e cometeu 37 erros não-forçados contra 55 de Nadal. O sérvio criou 22 break points e conseguiu oito quebras, enquanto o espanhol aproveitou seis oportunidades em 16 possíveis.

Com 142 pontos conquistados na partida, contra 124 do rival, Djokovic teve ligeira vantagem nos ralis mais curtos (de até cinco trocas), por 60 a 57, mas foi bem superior nos pontos entre cinco e nove rebatidas, com 53 contra 39 de Nadal. Já nos ralis mais longos, com mais de nove trocas, o sérvio venceu 29 e o espanhol fez 28.

Comentários