Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Djokovic alcança a 40ª semi de Slam e revê Nadal
09/06/2021 às 18h48

Djokovic está em busca de sua sexta final de Roland Garros

Foto: ATP

Paris (França) - Pela 40ª vez em sua carreira profissional, Novak Djokovic disputará uma semifinal de Grand Slam. O líder do ranking mundial garantiu vaga na penúltima rodada de Roland Garros depois de superar o italiano Matteo Berrettini, nono colocado, em quatro sets, com parciais de 6/3, 6/2, 6/7 (5-7) e 7/5 em 3h30 de partida. Campeão do torneio em 2016, o sérvio de 34 anos alcança sua 11ª semifinal e buscará sua sexta decisão no saibro francês.

Djokovic terá um novo confronto com Rafael Nadal na próxima sexta-feira. A rivalidade entre o sérvio e o espanhol tem 57 jogos e é a que mais se repetiu na Era Aberta do tênis masculino. A vantagem é mínima a favor de Djokovic, com 29 vitórias contra 28 de Nadal. Entretanto, o espanhol venceu três dos últimos quatro duelos, nas finais do Masters 1000 de Roma de 2019 e 2021 e também na decisão de Roland Garros no ano passado.

Apesar do equilíbrio em números gerais do confronto, Nadal leva boa vantagem nas disputas contra Djokovic no saibro. Em sua superfície favorita, o espanhol tem 19 vitórias e apenas sete derrotas. A última vitória do sérvio no piso aconteceu na temporada de 2016 em Roma. Eles já protagonizaram oito encontros nas quadras de Roland Garros e Nadal venceu sete deles. A única vez que Djokovic levou a melhor aconteceu nas quartas de final de 2015.

Superado por Djokovic nesta quarta-feira, Berrettini está com 25 anos e fez o melhor resultado da carreira em Paris. Antes disso, o italiano nunca havia sequer passado da terceira rodada de Roland Garros. Com maior predileção pelas quadras sintéticas, ele já tem no currículo uma semifinal do US Open em 2019, quando foi eliminado por Nadal.

Primeiro jogo noturno com público
Com o início da Fase 3 de flexibilização das restrições na França e toque de recolher a partir das 23h (local, 18h de Brasília), a quadra Philippe Chatrier pôde receber até 5 mil espectadores nesta quarta-feira. Este foi o primeiro jogo com público nas sessões noturnas desta edição do torneio. Mas houve a necessidade de esvaziar o estádio durante o quarto set. Até então, os jogos da noite eram disputados com o estádio vazio, respeitando o toque de recolher a partir das 21h (local, 16h Brasília). Os torcedores precisaram apresentar resultados de exames para Covid-19 ou comprovantes de vacinação.

Sérvio escapou de três break-points no 1º set
O bom desempenho nos momentos importantes foi fundamental para que Djokovic vencesse o equilibrado primeiro set da partida. O sérvio teve alguns games longos em seu serviço e enfrentou break-points em três games distintos, mas conseguiu se salvar em todos eles e aproveitou uma das chances de quebra que teve logo no início da partida para já abrir 4/1 no placar e sustentar a liderança. Ao fim do set, o sérvio liderava a estatística de winners por 14 a 9 e havia cometido só 9 erros contra 11 do rival.

Domínio de Djokovic a partir da segunda parcial
O sérvio correu bem menos riscos em seu saque durante o segundo set e cedeu apenas cinco pontos em seus games de serviço. Além disso, ele pressionou bastante o segundo saque do italiano, vencendo sete pontos em nove possíveis, para conquistar duas quebras. Por mais que Berrettini equilibrasse as ações em ralis mais curtos, apostando principalmente na potência de seu forehand, Djokovic prevalecia nas disputas mais longas. Entre os 16 pontos com mais de cinco trocas de bola na parcial, 12 foram para o sérvio.

Terceiro set foi o mais equilibrado do jogo
O equilíbrio foi retomado no terceiro set, muito por conta dos bons saques de Berrettini, que confirmou quatro games sem correr risco algum. No mesmo período, Djokovic só havia perdido três pontos em seu serviço na parcial. Quando o placar estava empatado por 4/4, o italiano enfrentou um break-point pela primeira vez no set depois de ter jogado dois forehands seguidos para fora, mas conseguiu se salvar colocando o primeiro saque na quadra e disparando um ace no fim do game.

A definição ficou para o tiebreak, que começou com domínio dos sacadores. Berrettini ganhou um ponto importante no saque de Djokovic com um ótimo forehand para abrir 4-3, mas depois errou um drop-shot e sofreu com uma devolução profunda do sérvio na paralela. Em vantagem, o número 1 do mundo teve a chance de definir a partida em seu saque, mas errou demais e permitiu ao italiano diminuir o placar. 

Paralisação e fim do jogo com estádio vazio

O quarto set começou com alguns games longos e domínio dos sacadores. Quando Djokovic vencia por 3/2, o jogo foi paralisado por aproximadamente 15 minutos, respeitando as restrições para a retirada do público. Na volta, Berrettini escapou de um break-point antes de confirmar o saque, enquanto Djokovic deu um susto ao sofrer uma queda em quadra. Ainda assim, o sérvio seguiu confirmando seus games sem correr riscos e buscando soluções para pressionar o adversário. Berrettini até salvou os dois primeiros match-points que enfrentou, mas não conseguiu evitar a derrota em quatros sets.

Apesar de Berrettini ter liderado a estatística de winners por 55 a 44, o italiano cometeu 51 erros contra apenas 19 de Djokovic. O sérvio não teve o saque quebrado em nenhum momento da partida, tendo enfrentado apenas três break-points. Ele criou nove chances de quebra e aproveitou quatro.

Comentários