Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Técnico de Badosa já foi chamado de 'Novo Nadal'
06/06/2021 às 17h58

Badosa é treinada por Javier Martí, de 29 anos, que era comparado a Nadal no início da carreira

Foto: Reprodução/Instagram
Mário Sérgio Cruz

Paris (França) - Garantida nas quartas de final de Roland Garros, a espanhola Paula Badosa tem valorizado demais o trabalho do técnico Javier Martí como ponto fundamental para seus bons resultados no saibro nas últimas semanas. Além disso, a jogadora de 23 anos e 35ª do ranking lembra que precisou lidar com pressões e expectativas desde muito nova, especialmente por ter sido campeã juvenil em Paris ainda em 2015.

Seu técnico também teve que lidar com uma carga enorme de pressão nos tempos de jogador. Martí, que ainda está com 29 anos, era comparado a Rafael Nadal no início de sua carreira e apontado como um sucessor do atual número 3 do mundo. No entanto, atingiu no máximo o 170º lugar do ranking e passou a se dedicar à uma nova carreira no circuito.

"Acho que ele está me ajudando muito a lidar com as expectativas. Ele sabe o que é ter expectativas quando você é muito jovem e muito bom jogador, com um futuro brilhante pela frente. Isso é um pouco minha situação. Acho que tivemos situações muito semelhantes quando éramos mais jovens", disse Badosa a TenisBrasil, durante a entrevista coletiva deste domingo, quando ela venceu a tcheca Marketa Vondrousova por 6/4, 3/6 e 6/2.

"Nesse momento, ele está me ajudando muito nisso. Desde o momento que vim para cá, tinha expectativas. As pessoas acreditavam que eu poderia fazer um bom torneio. Mentalmente foi um pouco difícil para mim lidar com isso, mas eu acho que gerenciei tudo muito bem e acho que ele tem um papel incrível nisso, porque tem me ajudado todos os dias", acrescenta a espanhola, que agora enfrenta a eslovena Tamara Zidansek, 85ª colocada, nas quartas.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Paula Badosa (@paulabadosa)

Badosa vem de uma temporada de saibro bastante consistente, com a conquista de seu primeiro WTA em Belgrado, além de ter atingido as semifinais em Charleston e Madri antes da ótima campanha em Paris. Também chegou a vencer a número 1 do mundo Ashleigh Barty. "Acho que a chave um pouco é fazer o simples. Às vezes, quando você tem muitas expectativas, sua cabeça funciona com dois jogos à frente. Inconscientemente é assim. Acho que o bom trabalho que fiz com o Javi é dia a dia, até nos dias que eu não estava jogando e quando estava de folga. Isso é um pouco do que estamos fazendo, não pensando muito sobre o próximo jogo ou sobre o que pode acontecer".

"Eu sempre pensei que o tênis é 80% do mental. Acho que quando você está nestas rodadas, é claro que a raquete é importante. Mas acho que é um pouco mais importante administrar todos os nervos nos momentos decisivos. Quando você está aqui, o aspecto mental é decisivo", complementou a cabeça 33 do Grand Slam francês.

Quarentena rígida na Austrália 
A espanhola também recordou o período difícil que passou na Austrália no início da temporada, quando ela e o treinador foram diagnosticados com Covid-19 na chegada ao país. Com isso, teve que cumprir uma quarentena rígida durante 21 dias, sem poder sair do quarto em hipótese alguma e só podendo abrir a porta para receber seus alimentos. Apesar da perda de desempenho físico pela falta de treinos e por todo o desgaste emocional causado pela situação, ela acredita que conseguiu se recuperar bem ao longo do ano.

"Acho que foi uma experiência difícil, mas naquele momento eu consegui lidar muito bem com a situação em janeiro, e fevereiro. E depois disso, acho que fiz um bom trabalho. Tentei voltar à minha melhor forma muito rápido e acho que consegui. Essa experiência aconteceu, mas já passou. Quando começou a temporada de saibro, eu estava me sentindo muito bem e estou muito feliz com o que estou fazendo".

Resultados acima das expectativas
Badosa reconhece que a consistência dos resultados no saibro superou suas expectativas. "Tenho que ser honesta, eu não imaginava conseguir todas essas coisas. Eu queria fazer uma boa temporada de saibro, estava me sentindo bem, estava trabalhando duro. Acho que meu jogo fica muito bom no saibro e estava trabalhando muito para isso, mas não esperava fazer todos esses resultados".

Comentários