Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Após um dia de detenção, russa é liberada em Paris
05/06/2021 às 07h40

Paris (França) - Um dia após ter sido detida pela polícia em Paris, acusada por corrupção ativa e passiva, a russa de 26 anos Yana Sizikova foi liberada neste sábado, mas segue no foco de uma investigação sobre manipulação de resultados em Roland Garros no ano passado.

Atual 101 do mundo, Sizikova foi liberada sem ser acusada formalmente. Em entrevista ao jornal russo Tass, o advogado da tenista, atual 101 do mundo nas duplas, disse que ela está chocada com a situação e a suspeita.

Segundo a BBC, a investigação começou em outubro, depois que foram levantadas suspeitas de fraude organizada e corrupção no esporte. Na época, uma fonte próxima à investigação disse que o inquérito estava examinando vários jogadores, incluindo Sizikova.

As suspeitas foram levantadas depois que as empresas de apostas perceberam que centenas de milhares de euros foram apostados em uma pausa no saque no segundo set. Apesar da libertação de Sizikova na sexta-feira, a investigação continua.

"Yana Sizikova está chocada e rejeita acusações de crimes que nunca cometeu. Essas acusações prejudicam sua reputação", disse seu advogado Frederic Belo à agência de notícias Tass, prometendo registrar uma queixa por difamação.

Belo contou que não tem certeza se Sizikova teria permissão para deixar a França, explicando que ela foi acusada de corrupção esportiva, com pena de até cinco anos de prisão e multa de 500 mil euros (R$ 3 milhões).

"Ela também é suspeita de fraude como parte de um grupo organizado. De acordo com este artigo, pode pegar até cinco anos de prisão e uma multa de 300.000 euros (R$ 1,8 milhão)", acrescentou o advogado da tenista russa.

Comentários