Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Serena encara admiradora: 'Já estive nessa situação'
04/06/2021 às 18h24

Serena cresceu admirando lendas como Seles e Graf e enfrenta uma fã declarada nas oitavas

Foto: Cédric Lecocq/FFT
Mário Sérgio Cruz

Paris (França) - Inspiração para muitas jogadoras de diferentes gerações, Serena Williams enfrentará uma admiradora declarada nas oitavas de final de Roland Garros. A tricampeã do torneio e atual número 8 do mundo joga na próxima fase contra a cazaque Elena Rybakina, de 22 anos e atual 17ª do ranking. O confronto, que é inédito no circuito, é a realização de um sonho para sua jovem rival. Já Serena, de 39 anos, lembra que já esteve nessa situação antes, já que cresceu admirando as multicampeãs Steffi Graf e Monica Seles, que teve a honra de enfrentar no início de sua carreira.

"É uma posição interessante para se estar, porque eu já estive nessa situação também e joguei contra pessoas que eu admirava muito. Mas ao mesmo tempo eu queria vencer as partidas", disse Serena a TenisBrasil, durante a entrevista coletiva desta sexta-feira, após a vitória por duplo 6/4 sobre Danielle Collins. "O quadro se inverteu agora. Sinto que é a mesma situação, mas elas querem vencer. Então, elas vão jogar soltas, sem nada a perder. Vão ser agressivas e buscar as linhas. Você só tem que perceber que pode ser agressiva também".

Mais cedo, Rybakina havia vencido a russa Elena Vesnina por 6/1 e 6/4 e comentado sobre o sonho de enfrentar Serena: "Ela é uma lenda do esporte. Então, é claro que eu quero estar na quadra com ela, sentir todo esse poder que ela tem. Eu assistia aos jogos dela quando eu estava crescendo, e será bom jogar contra Serena. Por que não? (disse sorrindo). É claro que o objetivo é vencer e vou tentar fazer o meu melhor".

Boa atuação deixa Serena mais confiante para as oitavas

Depois de ter passado por alguns altos e baixos nas duas primeiras fases, já que salvou um set-point na estreia contra Irina Begu e precisou de três sets contra Mihaela Buzarnescu, a norte-americana comemorou a atuação consistente que teve nesta sexta-feira. Ela entende, também, que precisava subir o nível para enfrentar Collins, número 50 do mundo.

"Se foi o meu melhor jogo da semana, eu não saberia responder. Mas senti que precisava estar muito focada na partida de hoje, porque ela estava jogando muito bem. Tive uma temporada difícil nas quadras de saibro até agora, então estou feliz por conseguir algumas vitórias", comenta a ex-número 1 do mundo, que vinha de eliminações precoces na estreia em Roma e nas oitavas de final em Parma.

Serena também destacou seu poder de reação na partida, especialmente no segundo set, que ela perdia por 4/1, antes de vencer cinco games seguidos. "As coisas não estavam indo do jeito que eu queria. Mas não é como se ela tivesse me dado aqueles games de graça. Eu tinha que merecer e dar a volta por cima. Isso foi muito positivo e me dá confiança para a próxima partida".

Última top 10 em seu lado da chave
Tricampeã em Roland Garros e vencedora de 23 títulos de Grand Slam, Serena é a única top 10 restante em seu lado da chave em Paris, mas sabe que ainda tem um longo caminho pela frente até a tão sonhada 24ª conquista. "Ainda tem muitos jogos pela frente e grandes jogadoras no torneio, como podemos ver. O circuito está muito intenso agora. Não importa quem você está enfrentando, até mesmo na primeira rodada. Você realmente tem que lutar por cada partida e não é nada fácil".

Comentários