Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Djokovic atropela Cuevas na 350ª partida de Slam
03/06/2021 às 12h51

Paris (França) - Apesar da disposição ofensiva, o uruguaio Pablo Cuevas não foi páreo para o número 1 do mundo Novak Djokovic. Com atuação notavelmente firme, o sérvio festejou seu 350º jogo de nível Grand Slam com a 305ª vitória e o confortável placar de 6/3, 6/2 e 6/4, em esforço de 2h05.

Seu próximo adversário será o lituano Ricardas Berankis, que passou bem pelo australiano James Duckworth, com parciais de 7/5, 2/6, 7/6 (7-4) e 6/0. Número 93 do mundo aos 30 anos, Berankis tem agora apenas três vitórias em oito participações em Roland Garros e perdeu os três confrontos diante de Djokovic, incluindo uma 'surra' em Paris no ano passado, em que ganhou apenas cinco games.

Esta é a 16ª vez consecutiva que Djokovic atinge a terceira rodada de Roland Garros. A única edição em que não venceu dois jogos foi na sua estreia em 2005, quando saiu do qualificatório e parou na segunda fase. Ele tem cinco finais no saibro parisiense com um título, obtido em 2016.

Aos 34 anos e 22 dias, Djokovic tem oportunidade de ser o primeiro tenista profissional a erguer pelo menos dois troféus em cada torneio de Grand Slam e o terceiro em todos os tempos a ganhar duas vezes os títulos da Austrália e da França numa mesma temporada, repetindo Rod Laver e Roy Emerson.

Atuação de gala
O primeiro set foi bem disputado e Cuevas deu trabalho ao mostrar consistência na base e um apetite ofensivo. O uruguaio surpreendeu ao obter quebra logo no terceiro game, mas Djokovic reagiu imediatamente, utilizando-se muito bem do forehand. Voltou a quebrar o adversário no oitavo game com excelentes contragolpes e um aproach na paralela magnífico, mas levou um susto e precisou salvar 0-40 com serviço afiado antes de concluir o primeiro set.

Um erro de smash fez Cuevas perder o serviço logo na abertura do segundo set e isso complicou de vez sua vida. Continuou lutando, mas Djokovic manteve um ritmo acelerado e eficiente. Devolveu muito para abrir 4/1 e aí ficou fácil completar o segundo set.

Outra vez, Djokovic abriu o set com quebra, mas depois precisou lutar muito para manter a vantagem, no game mais longo da partida em que Cuevas chegou a ter dois break-points. Soltou um grito de alívio, mas voltou a ter de evitar a quebra no quarto game e o fez com saques cruzados milimétricos. Antes disso, reclamou de um torcedor que, segundo ele, insistia em falar sempre que o sérvio errava o primeiro serviço. Daí em diante Djokovic fechou sem sustos seus serviços.

A estatística final deu 10 aces para Djokovic, com 68% do aproveitamento do primeiro saque e 75% desses pontos vencidos, o que ajudou muito a evitar oito de nove break-points. Destaque também para o 52% de sucesso quando Cuevas jogou com o segundo saque. Cada tenista fez 31 winners e o sérvio errou um pouco menos (22 a 26).

Djokovic assim completa seus dois primeiros jogos em Paris com apenas 17 games perdidos. Na estreia, superou o norte-americano Tennys Sandgren, por 6/2, 6/4 e 6/2.

Comentários