Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Kvitova espera repetir boa campanha do ano passado
29/05/2021 às 16h58

Kvitova foi semifinalista na edição passada do Grand Slam francês

Foto: Jimmie48/WTA

Paris (França) - Semifinalista de Roland Garros no ano passado, Petra Kvitova está disposta a fazer mais uma boa campanha no Grand Slam francês. A jogadora de 31 anos e número 12 do mundo tenta repetir o resultado de 2020, e talvez ir além. Ainda mais porque a edição passada do torneio foi disputada já no segundo semestre, encerrada apenas em outubro último.

"Para mim parece que foi ontem que estivemos aqui. Faz apenas alguns meses e não é um ano inteiro, como normalmente acontece", disse Kvitova na entrevista coletiva deste sábado. "Então, eu realmente tenho muitas memórias do ano passado. Obviamente, foi um grande momento para mim. Sim, ainda temos que ficar na bolha, mas este ano está um pouco melhor. Estou gostando muito de jogar no saibro e muito feliz por estar aqui".

+ Após altos e baixos, Kvitova está pronta para o saibro
+ 'Minha carreira ainda não acabou', garante Kvitova

Kvitova fará sua 12ª participação na chave principal de Roland Garros. Sua primeira aparição foi em 2008, e desde então ela só ficou de fora de duas edições. E mesmo com muita experiência, ela busca coisas novas para se manter motivada. "É um número interessante, mas eu não sinto muito a idade. Sei que já tenho mais de 30 anos, mas ainda me sinto bem. Quero dizer, eu não sinto nenhuma tensão ou algo assim".

"Claro que é difícil ainda fazer algo novo, ainda mais por causa da bolha. Normalmente gosto de sair para tomar um café e caminhar e estou tentando lidar com isso também. E nos treinos, além do forehand e do backhand, estou tentando alguns outros exercícios diferentes e me divertindo. É disso que eu gosto. Às vezes o bom humor o principal é para ter um bom desempenho".

A estreia de Kvitova será contra a belga Greet Minnen, 125ª do ranking. A tcheca venceu os dois duelos anteriores, um deles este ano na Austrália. "Quando me disseram ontem que jogaria com ela, falei: 'Nossa! De novo?' Faz apenas alguns meses que jogamos. Mas agora vai ser no saibro e será diferente. Também joguei contra ela no saibro em Stuttgart dois anos anos atrás", afirmou a tcheca. "Tenho que fazer o meu melhor, tentar forçar o jogo, fazê-la correr. Isso é importante. Por outro lado, ela também joga muito bem com o forehand. Então esse seria com certeza meu plano de jogo".

Comentários