Notícias | Dia a dia
Nadal derrota Djokovic de novo e é deca em Roma
16/05/2021 às 15h00

Roma (Itália) - O espanhol Rafael Nadal completou exatos cinco anos sem perder para o sérvio Novak Djokovic sobre o saibro ao conquistar neste domingo seu 10º troféu no Masters 1000 de Roma, justamente o último lugar onde havia sido batido pelo sérvio, nas quartas de 2016. Agora com seis triunfos consecutivos no piso, ele marcou as parciais de 7/5, 1/6 e 6/3, em 2h48 de duelo, aumentando seu favoritismo para Roland Garros dentro de duas semanas.

Nadal iguala novamente a disputa particular com o sérvio pela supremacia na tabela de título de Masters 1000, agora cada um com 36. Também reduz o confronto direto para 28 a 29, de Masters para 13 a 16 e de finais para 13 a 15. Sobre o saibro, no entanto, sua soberania é absoluta: 19 a 7 no total e 9 a 4 em decisões. O espanhol derrota Djokovic pela sexta vez em nove confrontos em Roma, onde ganhou quatro dos seis jogos decisivos.

Esta é a segunda grande conquista de Nadal na temporada 2021 em apenas quatro semanas, repetindo Barcelona, onde foi campeão pela 12ª vez. Ele havia sido batido em Monte Carlo e em Madri. Ao longo da carreira, são agora 88 títulos ficando mais perto dos 94 de Ivan Lendl, que é a terceira melhor marca da Era Profissional.

Nadal, 34 anos, e Djokovic, 33, fizeram a mais velha final de Roma desde 1968 e a segunda em torneios de Masters 1000, superada apenas pelo duelo entre Roger Federer e John Isner em Miami de 2019. No caminho derrotaram nomes da nova geração como Stefanos Tsitsipas, Alexander Zverev, Denis Shapovalov, Jannik Sinner e Reilly Opelka.

Primeiro set intenso
Sete meses depois da espetacular vitória sobre Djokovic na decisão de Roland Garros, Nadal perdeu logo o primeiro game de serviço, mas não se abalou e reagiu imediatamente. Ponto essencial foi o primeiro saque bem aplicado, alguns acima dos 200 km/h, o que diminuiu a chance de Djokovic atacar. Seu índice de acerto ao longo do set foi de notáveis 84%.

O backhand do sérvio fez ótimo trabalho, tanto na abertura de ângulos como no ataque à paralela, e isso forçou Nadal a mudar o plano e forçar mais seu forehand no lado direito. Djokovic escapou de um break-point no sétimo game, mas não sacou bem no 11º, reclamando do sol. Nadal obteve a quebra e ainda permitiu 0-30 na hora de fechar, mas outra vez achou o primeiro saque para sair do sufoco e usar o forehand. De seus 21 winners, 15 vieram com esse golpe.

Saque de Nadal cai
Djokovic sinaliza pequena queda de intensidade no game inicial do segundo set, mas se sustentou e foi recompensado com quebra no quarto game fruto de dois erros de Nadal e uma curtinha magnífica. Com trabalho, confirmou a vantagem e aí dominou totalmente. O espanhol viu a queda vertiginosa do primeiro saque - 61% de acerto e só 50% de pontos vencidos - e ao mesmo tempo os winners desabaram (5 contra 9). Os erros foram poucos (9 a 8) porém Djokovic foi muito mais eficiente na hora de decidir os games.

Terceiro set eletrizante
O sérvio, que passou 4h56 em quadra no sábado diante de apenas 1h32 de Nadal, entrou para o terceiro set já com sete horas de fim de semana em ação. E encarou as trocas com máximo empenho. O espanhol mudou a postura e passou a fazer o sérvio a pensar mais, ora com bolas altas no centro, ora com deixadinhas. Ainda assim, se apertou no quinto game e ofereceu um break-point, que Djokovic desperdiçou com um forehand frouxo na rede.

No game imediatamente seguinte, Nadal começou com uma paralela espetacular e abriu caminho para a vitória com uma sucessão de lances espetaculares, incluindo uma passada cruzada muito justa. Espanhol teve paciência para confirmar e ir a 5/2. Djokovic salvou match-point e ainda lutou, mas o espanhol sacou com confiança e completou para embolsar 245.085 euros.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG