Notícias | Dia a dia
Nadal e Osaka vencem prêmios principais do Laureus
06/05/2021 às 15h59

Lausanne (Suíça) - Nesta quinta-feira o prestigiado prêmio Laureus divulgou os vencedores e o tênis dominou nas principais categorias. O espanhol Rafael Nadal foi eleito o melhor atleta masculino do ano e a japonesa Naomi Osaka foi escolhida a melhor atleta feminina do ano. Além dos dois, a norte-americana Billie Jean King foi premiada pelo conjunto da obra.

“Estou muito feliz em receber este prêmio. Olhando para frente, minhas maiores esperanças para o futuro são de poder aproveitar meu espaço para ajudar ou impactar o máximo de pessoas que puder. Se você tem uma plataforma, acho muito importante usá-la”, comemorou a japonesa, que pela primeira vez recebeu o Laureus. A Academia que premiou Osaka destacou não apenas as recentes conquistas dentro de quadra, no Australian Open e no US Open, mas também o engajamento da japonesa na luta contra o racismo e por maior justiça social.

Vencedor entre os homens, Nadal recebe o prêmio pela segunda vez, repetindo a conquista de 2011. Nadal tem outros dois prêmios Laureus em outras categorias, como 'Breakthrough' (que costuma ser traduzido como 'revelação') em 2006, além de ter vencido o 'Retorno do Ano' em 2014.

Contudo, o canhoto de Mallorca ainda está bem atrás de seus rivais de circuito, uma vez que o sérvio Novak Djokovic já tem quatro Laureus na categoria principal (2012, 2015, 2016 e 2019), e o suíço Roger Federer é o recordista com cinco (2005, 2006, 2007, 2008 e 2018). O suíço também ganhou o 'Retorno do Ano' em 2018.

“Quero agradecer do fundo do meu coração à Academia Laureus. Teve alguns competidores incríveis. O demais esportistas provavelmente merecem o troféu como eu, mas o deste ano foi para mim e não posso estar mais feliz. Vencer Roland Garros e igualar o 20º Grand Slam de Roger Federer foi um momento inesquecível”, afirmou Nadal.

Billie Jean King também foi reconhecida
O prêmio honorário a Billie Jean King foi dado por seu intenso trabalho dentro e fora das quadras para a consolidação do tênis feminino. Ela foi uma das fundadoras da WTA em 1973 e conquistou 12 títulos de Grand Slam em simples, além de mais 16 nas duplas femininas e 11 nas duplas mistas, e foi uma das pioneiras na luta pela igualdade de gênero nos esporte e igualdade nas premiações entre homens e mulheres:  "O tênis me deu uma oportunidade maravilhosa de viver meu sonho. O esporte também deu a muitos de nós uma plataforma para melhorar nosso mundo", declarou a ex-número 1 do mundo.

Em outras categorias, os tenistas não tiveram a mesma sorte. O austríaco Dominic Thiem e a polonesa Iga Swiatek concorreram na categoria ‘Breakthrough’, mas não levaram, o mesmo aconteceu com Federer, indicado na categoria ‘Sporting Moment of the Year’, também passando em branco desta vez.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva