Notícias | Dia a dia
Paire: 'Não foi minha melhor partida, mas foi incrível'
05/05/2021 às 08h18

Madri (Espanha) - Após finalmente voltar a vencer, acabando com uma incômoda sequência de derrotas, Benoit Paire mostrava um misto de alegria e alívio. O triunfo sobre o georgiano Nikoloz Basilashvili pela primeira rodada do Masters 1000 de Madri foi importante para o francês, que destacou o apoio da torcida do primeiro ao último ponto.

“Estar em Madrid com um clima de Copa Davis, com todos os franceses me apoiando do começo ao fim, me faz amar o tênis de novo. Por tudo isso eu treino e é isso que preenche meu coração. Para mim, é como se a temporada começasse de novo”, afirmou Paire, que nunca escondeu ser afetado pelas restrições e ausência de público nas arquibancadas.

Paire acredita que o que viveu em quadra nesta terça-feira ficará guardado com carinho na memória. “Não vou me esquecer do que aconteceu hoje, porque não foi a minha melhor partida, mas está bem claro que vivi um momento incrível, com muito apoio da torcida francesa. Sinceramente, pode acabar sendo uma das melhores lembranças da minha carreira”, disse.

“Os franceses sabem que não estou na minha melhor forma, que não estou jogando meu melhor tênis, que mentalmente tudo está sendo difícil para mim, mas ainda assim as pessoas vieram às arquibancadas para me ver e me apoiar e eu adoro isso”, complementou o tenista de 31 anos, que ocupa atualmente o 35º lugar na ATP.

Um ponto que o francês colocou como importante foi a pausa que resolveu fazer entre Monte Carlo e Madri. “Sinto-me muito melhor agora, mentalmente estou bem descansado. Não tenho que me matar fisicamente nos treinos para jogar bem. Não fiz nada físico por dez dias, nem toquei na raquete. Este intervalo era exatamente o que eu precisava”, observou.

Sobre o desempenho em quadra, Paire destacou o seu saque. “Só fiquei um pouco nervoso quando saquei para o jogo, mas ele funcionou muito bem no resto da partida. O mais importante era minha cabeça. Quando estou mentalmente pronto para jogar e posso focar no meu tênis, tudo é totalmente diferente”, comentou o francês, que terá pela frente o grego Stefanos Tsitsipas.

Enfrentei Stefanos em Acapulco, mas não consegui fazer um jogo normal. Mentalmente não estava preparado. Acho que vai ser um bom jogo, sei que vai ser muito duro, mas acredito ter uma chance de ganhar”, encerrou Paire, que soma duas derrotas e uma vitória no histórico contra seu próximo rival.

Comentários
Loja - camisetas
Arena BTG