Notícias | Dia a dia
Veterana de 74 anos disputa ITF profissional nos EUA
03/05/2021 às 14h49

Gail Falkenberg disputa alguns torneios profissionais esporadicamente e chegou a vencer um jogo em 2016

Foto: Polo Tennis Club

Naples (EUA) - Exemplo de longevidade e dedicação ao tênis, a norte-americana Gail Falkenberg teve nesta segunda-feira mais uma incursão no circuito profissional. A veterana tenista está com 74 anos e disputou o quali do ITF W25 de Naples, no Estado da Flórida. Ela estreou contra a francesa de 20 anos e 796ª do ranking Tiphanie Fiquet e acabou perdendo por duplo 6/0. Em caso de vitória, ela poderia enfrentar a francesa Marine Partaud ou a norte-americana Andrea Burkhardt.

Falkenberg chegou a disputar o qualificatório do Australian Open em 1988, quando já estava com 40 anos, e até avançou uma rodada. No ranking da WTA, sua melhor marca foi o 360º lugar, obtido em dezembro de 1987. Mas sua relação com o tênis é muito mais antiga. Ela praticava o esporte nos tempos de estudante universitária, na UCLA, durante a década de 1960. Na época, também jogava basquete, e depois fez carreira como treinadora nos dois esportes.

Já veterana, Falkenberg começou a tentar a sorte no tênis profissional durante a década de 1980, disputando competições nacionais em parques públicos e construiu uma carreira no circuito entre 1986 e 1999. Seu retorno só aconteceria em 2011, atuando esporadicamente os torneios profissionais da Federação Internacional de Tênis (ITF) nos Estados Unidos. Com maior frequência, joga torneios da associação norte-americana (USTA), que contam pontos para o ranking nacional da entidade.  

Vitória mais recente aconteceu em 2016, aos 69 anos
A vitória mais recente de Falkenberg no circuito aconteceu em abril de 2016 sobre a norte-americana Rosalyn Small por 6/0 e 6/1 pelo quali do ITF W25 de Pelham, no Alabama. A experiente tenista já estava com 69 anos. Na fase seguinte, perdeu para a ex-número 1 juvenil Taylor Towsend por duplo 6/0. Ela não jogava nenhum evento profissional desde 2018.

Chamada de 'A Lenda' pelas demais jogadoras quando disputa um torneio, Falkenberg muitas vezes precisa sacar por baixo durante as partidas e está disposta a melhorar seu estilo de jogo: "Muitas pessoas dizem que você não consegue melhorar depois uma certa idade, mas eu consigo! Você só precisa treinar. Estou ficando mais rápida e mais ágil, acredite ou não", disse à revista norte-americana Tennis em 2016, pouco depois de ter vencido seu jogo em Pellhan.

Na época, ela também falou sobre sua vitória ao Wall Street Journal: "Ela teve muito trabalho com meu spin e com o meu saque por baixo. Ela não conseguia bater muito forte, e então eu conseguia colocar a bola na quadra e fazer com que ela jogasse o meu jogo", comentou Falkenberg. "Gosto de estar perto da geração mais jovem. E meu jogo dá mais problemas a elas do que às jogadoras mais velhas, acredite ou não".

Apesar da idade, ela ainda participa de clínicas e dá aulas particulares de tênis. Gosta de ensinar. E quer continuar jogando alguns torneios profissionais quando puder: "Eu adoraria vencer aos 70 anos. As pessoas mais velhas dizem que sou uma inspiração para elas acreditarem que é possível seguir em frente".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva