Notícias | Dia a dia
Capitã brasileira reconhece que Polônia é favorita
15/04/2021 às 19h45

Carol Meligeni foi escalada para abrir o confronto contra Magdalena Frech

Foto: Adam Nurkiewicz/Divulgação

Bytom (Polônia) - Capitã da equipe brasileira na Copa Billie Jean King, a treinadora Roberta Burzagli reconhece que a Polônia é favorita no confronto que acontece neste final de semana pelos playoffs da competição, valendo a permanência no qualificatório mundial de 2022. Burzagli destacou a força do time adversário e o fato de as polonesas jogarem em casa, numa quadra dura e coberta na cidade de Bytom, mas confia nas chances do time brasileiro.

"A Polônia é a favorita para o confronto porque está jogando em casa e tem um time muito forte", disse Burzagli na entrevista coletiva desta quinta-feira, após o sorteio que definiu a ordem dos jogos do primeiro dia do confronto. "Mas vamos tentar vencer esta difícil eliminatória, porque pretendemos voltar à elite da Copa Billie Jean King. Não será fácil, mas acreditamos no nosso potencial".

Na abertura do confronto, a partir das 9h (de Brasília) desta sexta-feira, Carolina Meligeni Alves desafia a polonesa Magdalena Frech, 157ª do ranking. "Estou muito feliz por ter sido escalada e abrir o confronto. Sinto que estou confiante e venho de um bom momento no circuito".

"Consegui treinar em dois períodos hoje e já me sinto adaptada com as condições. A equipe está unida e tenho certeza que a gente pode ganhar delas e fazer um bom confronto",  afirmou a paulista de 24 anos e 342ª colocada. Carol venceu quatro dos cinco jogos de simples que fez pela competição, mas todas as suas vitórias foram no saibro e contra rivais sul-americanas. 

A número 1 do Brasil para o confronto será a paulista Laura Pigossi, 326ª do ranking, mas com dois títulos no piso duro nesta temporada. A jogadora de 26 anos atua no complemento da rodada desta sexta-feira contra Urszula Radwasnka, 227ª colocada. Pigossi também abre a rodada de sábado, às 7h, diante de Frech.

Stefani pode fazer o jogo decisivo
Pelo regulamento da competição, o jogo de duplas será apenas o último do confronto podendo definir a série ou ser disputado já com a classificação resolvida. A duplista Luisa Stefani, 25ª do ranking da modalidade, está escalada para atuar ao lado de Gabriela Cé contra Weronika Falkowska e Paula Kania.  

"Pode ser que eu jogue a partida mais importante, decisiva, ou um jogo que não conte. Espero que as meninas consigam ir bem e dar conta do recado, mas estarei superpreparada caso necessite", disse Stefani, que vive o melhor momento da carreira. "Essa é uma das coisas mais legais que eu sinto no esporte, jogar por equipe e poder ter esse feeling. Tenho ótimas lembranças da competição e essa não será diferente".

Stefani também comentou sobre as condições mais lentas, escolhidas pela equipe polonesa. O piso emborrachado foi instalado sobre uma quadra poliesportiva de um ginásio. "Temos treinado muito bem. As condições estão ótimas, a superfície é diferente, não só para gente, mas para as polonesas também. Isso neutraliza bastante. Não tem nenhum torneio que já joguei com uma quadra parecida. Não ter torcida também neutraliza o confronto. Vai depender mais de entrar em quadra e deixar o jogo rolar".

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva