Notícias | Dia a dia
Djokovic não vê Vajda repetindo o que fez Toni Nadal
11/04/2021 às 14h35

Monte Carlo (Mônaco) - Um dos destaques nesta edição do Masters 1000 de Monte Carlo é a estreia de Toni Nadal como treinador de Felix Auger-Aliassime. O fato ganhou tamanha repercussão que até o sérvio Novak Djokovic foi questionado sobre o assunto. O número 1 do mundo vê com bons olhos a novidade do canadense e acredita que seu técnico, o eslovaco Marian Vajda, jamais tomaria o mesmo caminho de Toni.

“É difícil imaginar Marian treinando outro tenista enquanto eu ainda estiver jogando tênis”, disse o sérvio. “Rafa (Nadal) e Toni não trabalhavam juntos há anos e Toni estava em busca de novos desafios e novidades. Eu sei que o Felix passou muito tempo nos últimos anos na Academia do Rafa e em algumas ocasiões foi visto conversando com o Toni”, complementou Djokovic.

O líder do ranking acredita que o canadense só tem a ganhar com a nova parceria. “Aliassime é um cara legal e que trabalha muito para continuar se aprimorando neste esporte. Desejo o melhor nesta nova aventura juntos para ambos. Sinto que Toni pode trazer coisas positivas para o jogo e a mentalidade de Felix”, analisou o sérvio.

Podendo estrear contra Jannik Sinner, que vem do vice em Miami, Djokovic falou sobre o possível duelo com o jovem italiano. “Não treinei muito com o Sinner neste último ano e meio, mas antes disso treinávamos muito juntos. Ele é uma pessoa legal, trabalhadora, que dá tudo para continuar melhorando”, observou o cabeça de chave 1 em Monte Carlo.

“Ele está cercado pelas pessoas certas, é ambicioso e acho que tem tudo para ser um campeão. Jogar a final do Miami Masters 1000 é o ponto alto de sua carreira, mas a verdade é que ele é um jogador muito consistente e tem conseguido ir sempre às fases finais nos ATP 250 e 500 que vem disputando. Isso diz muito sobre ele”, acrescentou.

Questionado sobre sua preparação para o saibro, especialmente após ficar sem jogar desde o Australian Open, ele afirmou não ter feito nada em particular. “Ao longo da minha carreira tive paradas e voltei a jogar em um bom nível. Acho que não há nada de especial que eu deva fazer em termos de preparação para me sentir melhor em quadra. Treinei bastante no saibro e aqui em Monte Carlo me sinto em casa", disse o sérvio, que tem casa no principado.

Djokovic ainda comemorou o fato de o torneio não ter normas rígidas para os tenistas. “É ótimo que aqueles que residem aqui em Mônaco possam dormir em casa. Eles também confirmaram que cada jogador tem uma hora por dia para se exercitar ao ar livre e não em áreas fechada”, finalizou o tenista de 33 anos.

Comentários
Loja - camisetas
Torneio Teodózio