Notícias | Dia a dia
Zverev conta como foi jogar em meio ao terremoto
20/03/2021 às 11h55

Acapulco (México) - Primeira das semifinais do ATP 500 de Acapulco, o duelo 100% alemão entre Alexander Zverev e Dominik Koepfer abalou literalmente as estruturas do estádio principal do torneio. Isso porque no meio do segundo set aconteceu um terremoto no local, que sacudiu as arquibancadas enquanto os tenistas estavam correndo pela quadra.

“Eu não sabia o que estava acontecendo e nem Dominik. Acabamos ouvindo a multidão fazer barulho. Acho que as luzes começaram a tremer e o público sentiu isso mais do que nós. Estávamos correndo pela quadra, então tivemos que jogar um ponto durante o terremoto. Não sentimos muito, mas eu sei que isso acontece aqui. Já testemunhei isso aqui antes, então acho que é normal para Acapulco”, disse Zverev.

Com Koepfer sacando em 40-15 no primeiro game da segunda parcial, houve tremores que sacudiram o estádio. Acabou sendo um terremoto de magnitude 5,7 no estado de Guerrero, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos.

Ao analisar a partida, Zverev elogiou o compatriota e falou que Koepfer dificultou ao máximo a sua vida em quadra. “Ele é um jogador muito duro de se enfrentar e ganhou algumas partidas incríveis aqui", elogiou Sasha, que realmente sofreu um pouco para bater o conterrâneo em sets diretos, com placar final de 6/4 e 7/6 (7-5).

"Vencer (Milos) Raonic em uma quadra dura do jeito que ele fez é muito difícil. Acho que mostrou que é alguém que consegue jogar muito bem nesse nível. Hoje, honestamente, achei que não fiz uma partida ruim e foi ele que me deu trabalho”, complementou o atual número 7 do mundo, que na final enfrentará o grego Stefanos Tsitsipas, contra quem tem um retrospecto nada bom de 1 vitória e 5 derrotas.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva