Notícias | Dia a dia
Façanha do irmão caçula motiva Francisco Cerundolo
07/03/2021 às 11h15

Francisco, de 22 anos, pode dar o segundo título de ATP para a família em uma semana

Foto: Sergio Llamera/Argentina Open

Buenos Aires (Argentina) - Finalista do ATP 250 de Buenos Aires, o argentino de 22 anos Francisco Cerundolo busca motivação no feito de seu irmão mais novo. Há uma semana, Juan Manuel Cerundolo venceu o ATP de Córdoba com apenas 19 anos. Com isso, o mais velho da família acredita que a façanha do caçula foi fundamental para que ele também busque um título na elite do circuito. Cerundolo, 137º do ranking, terá uma final argentina contra o número 9 do mundo Diego Schwartzman às 15h (de Brasília) deste domingo.

"A realidade é que Juanma e eu nunca tivemos a chance de nos testarmos no tênis em nível ATP antes, mas isso não é algo que acontece de um dia para o outro. Há muito tempo que esperávamos pela nossa chance e, junto com Juanma, trabalhamos há muitos anos para chegar a este nível. Vê-lo vencer foi muito motivador", disse Cerundolo, depois da vitória na semifinal sobre o espanhol Albert Ramos por 7/6 (7-5), 3/6 e 6/2.

"Na semana passada percebi que o meu jogo estava lá. A chave era minha mente, porque o tênis estava chegando lá conforme eu vencia cada partida", acrescenta o argentino, que veio do quali em Buenos Aires e venceu sete jogos seguidos na semana. Seu irmão mais novo fez caminho parecido em Córdoba, onde ganhou oito partidas até conquistar o título.

Treinos na Itália e boas campanhas em challengers
Durante o período mais restritivo da pandemia na Argentina, ele ficou em casa e só pôde fazer treinos físicos, sofrendo com pequenas lesões no punho e tendinite na perna. Em agosto, com cenário mais propício para viajar ao exterior, embarcou para a Itália, na companhia do irmão e do também tenista argentino Tomas Etcheverry.

"Não sabíamos mais o que fazer. Viajamos para a Itália e ficamos de quarentena em Arezzo antes de começarmos a competir. A jornada foi difícil, estávamos inseguros e nervosos. Depois de alguns meses de circuito, estávamos mais relaxados", argumentou o tenista, que emendou uma série de bons resultados em challengers no fim do ano passado, conquistando títulos em Split, Guayaquil e Campinas.

"Acho que desde outubro tenho aproveitado melhor o meu jogo e foi incrível chegar à final quase todas as semanas. Eu só precisava tentar repetir isso nos torneios da ATP", avaliou o argentino, que destacou a preparação mental para os jogos. "Minha capacidade mental e minha maturidade cresceram muito em um ano e meio. É importante estar bem em todos os aspectos, mas acima de tudo para acreditar em si mesmo".

Irmãos buscam feito inédito no circuito
O irmãos Cerundolo podem ser os primeiros na Era Aberta a conquistarem títulos de ATP em semanas consecutivas. Na história, sete pares de irmãos já venceram torneios no circuito, mas nunca de forma seguida como os argentinos podem fazer. Isso quase aconteceu também em 2017, quando o alemão Alexander Zverev venceu o Masters 1000 de Roma e seu irmão mais velho Mischa foi finalista em Genebra na semana seguinte.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva