Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djokovic defende hegemonia absoluta em Melbourne
20/02/2021 às 16h29

Melbourne (Austrália) - Assim como Rafael Nadal faz em Roland Garros e Roger Federer dominou Wimbledon no seu auge, o sérvio Novak Djokovic tem uma hegemonia assustadora no Australian Open, onde neste domingo tentará o nono título em nove tentativas.

Até hoje, o único homem a ganhar um Slam por nove vezes foi o próprio Nadal, com os 13 de Paris. No momento, Djoko se iguala a Federer, que tem oito em Wimbledon.

Veja alguns dados estatísticos sobre o incrível desempenho de Djokovic no Melbourne Park, onde às 5h30 deste domingo ele enfrentará o russo Daniil Medvedev:

91% de vitórias
Seu percentual de vitórias no Australian Open agora é de 91%, ou seja, 81 vitórias em 88 jogos disputados. Em Grand Slam, só fica atrás do domínio de Rafael Nadal em Roland Garros, onde o espanhol tem 100 em 102. Pete Sampras chegou a 90% em Wimbledon (63-7) e Federer tem 88,6% no mesmo Wimbledn (101-13).

Eficiência em finais
Todo mundo sabe que Djokovic ganhou todas as oito finais que disputou no Melbourne Park. Desses jogos, em três ele saiu perdendo o primeiro set e dois chegaram ao quinto set, incluindo a história decisão de 5h53 de 2012 diante de Nadal.

Na soma das oito finais, ele quebrou 45 serviços, com não menos de três por jogo e sua média é superior a uma quebra por cada um dos 31 sets que disputou. Nas últimas quatro finais, obteve cinco quebras por partida, com índice de aproveitamento de break-points de 50%.

Líder nos aces
Djokovic já cravou 100 aces na edição deste ano e pela primeira vez lidera essa estatística num Grand Slam. Superou também seu recorde pessoal de aces num jogo, que era de 23, ao anotar 26 diante de Frances Tiafoe. Contra Zverev, fez mais 23.

Vitórias nobres
De suas 81 vitórias em Melbourne, 22 foram sobre adversários de nível top 10, categoria em que seu percentual de aproveitamento na história do torneio é de 81,5%. Diante do chamado Big 4 do tênis masculino atual, Nole tem o placar de 10 a 1, sendo a única derrota para Federer em 2007.

Comentários