Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djoko acaba com a festa de Karatsev e volta à final
18/02/2021 às 07h41

Djokovic disputará sua nona final em Melbourne e a 28ª em Grand Slam

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Amplo favorito na primeira semifinal do Australian Open, Novak Djokovic fez valer a condição de número 1 do mundo e dominou do início ao fim o confronto contra o russo vindo do quali Aslan Karatsev, jogador de 27 anos e apenas 114º do ranking. O sérvio marcou as parciais de 6/3, 6/4 e 6/2 em 1h53 de partida para alcançar sua 28ª final de Grand Slam e a nona na Austrália.

Maior vencedor na história do Australian Open, Djokovic tem oito conquistas em Melbourne. Aos 33 anos, o sérvio está em busca de seu 18º título de Grand Slam para reduzir a diferença para seus dois principais rivais, Roger Federer e Rafael Nadal, ambos com 20 troféus cada um. O suíço não disputou o torneio e está em fase final de recuperação das duas cirurgias no joelho direito a que foi submetido no ano passado. Já o espanhol foi eliminado nas quartas de final.

Caso conquiste mais um título em Melbourne, Djokovic será o segundo homem na história a ter pelo menos nove conquistas no mesmo Grand Slam. O primeiro foi Nadal, que já acumula 13 troféus de Roland Garros. Já Federer tem como melhor marca os oito títulos de Wimbledon. Além disso, pode igualar uma marca de Nadal entre os jogadores com seis títulos de Grand Slam depois dos 30 anos.

Outra boa notícia para Djokovic é a recuperação constante da lesão muscular na região abdominal. Ele começou a sentir o problema físico na partida de cinco sets contra Taylor Fritz pela terceira rodada e precisou reduzir a carga de treinos e cogitou abandonar o torneio. Até essa tranquila semifinal em Melbourne, sua única vitória em sets diretos no torneio havia sido contra o francês Jeremy Chardy na estreia. Já contra Frances Tiafoe, Milos Raonic e Alexander Zverev, ele fez jogos de quatro sets.

O adversário de Djokovic na final marcada para o próximo domingo virá da partida entre o russo Daniil Medvedev e o grego Stefanos Tsitsipas, que se enfrentam nesta sexta-feira às 5h30 (de Brasília). O sérvio lidera o histórico de confrontos contra Tsitsipas por 4 a 2 e tem a mínima vantagem de 4 a 3 no retrospecto contra Medvedev. Ambos lutam pelo primeiro título de Grand Slam de suas carreiras, sendo que o russo já tem uma final de US Open no currículo.

Surpresa do torneio, Karatsev chegará ao top 50
Superado por Djokovic na semifinal em Melbourne, Aslan Karatsev foi a grande surpresa deste Australian Open. O russo de 27 anos disputou uma chave principal de Grand Slam pela primeira vez na carreira e conseguiu expressivas vitórias contra o top 10 argentino Diego Schwartzman, o promissor canadense Felix Auger-Aliassime e o ex-número 3 do mundo Grigor Dimitrov. A campanha o levará ao top 50 pela primeira vez.

Profissional desde 2011, o russo chegou ao top 200 ainda em 2016, mas sofreu uma grave lesão no joelho que o tirou de combate por seis meses e o fez cair para o 764º lugar do ranking. Ele teve que voltar a jogar futures, menor nível do tênis profissional até conhecer seu atual técnico, Yahor Yatsyk, que o ajudou na retomada da carreira. No segundo semestre do ano passado, se destacou em três torneios challenger na República Tcheca e voltou ao top 200. Já no início deste ano, em Doha, furou o quali do Australian Open e garantiu vaga no primeiro Grand Slam de sua carreira.

Djokovic não demorou para começar a dominar
Apesar de a semifinal em Melbourne ser o jogo mais importante de Karatsev como profissional, o russo não parecia sentir a pressão pelo momento e começou a partida em bom nível, confirmando seus games de serviço e equilibrando as ações com Djokovic. Mas não demorou para que o sérvio, com sua ótima capacidade de leitura de jogo, encontrasse a melhor maneira de executar as devoluções contra o russo, um adversário inédito em sua carreira.

Djokovic procurou apenas bloquear os saques, sem forçar as devoluções, para fazer o russo jogar e já começou a ganhar pontos de graça com os erros do adversário. Karatsev até escapou de um 0-30 no sexto game, mas não evitou a quebra no oitavo. Sacando para o set, o número 1 do mundo não deu chances e terminou a parcial vencendo dez pontos seguidos. Djokovic liderou a contagem de winners no set por 9 a 7 e cometeu apenas um erro não-forçado contra 13 de seu adversário.

Karatsev reagiu no fim do segundo set

A pressão exercida por Djokovic nos saques de Karatsev continuava e o sérvio logo conseguiu outra quebra no início do segundo set para abrir 3/1. O jogo estava muito tranquilo para o sérvio, que voltaria a quebrar dois games mais tarde para fazer 5/1. Depois de finalmente voltar a confirmar um game de serviço sem sustos, o russo começou a jogar um pouco melhor. Além disso, contou com erros e uma dupla falta de Djokovic para devolver uma das quebras.

Karatsev ganhou confiança e diminuiu ainda mais a vantagem. Quando o sérvio teve a segunda chance de sacar para o set, viu o rival sustentar um rali de 35 trocas de bola e encaixar dois winners de devolução para ter dois break points. Aliviado depois de evitar uma nova quebra, Djokovic fechou o set e vibrou muito. Ele fez 14 a 11 em winners e cometeu 7 erros, um a menos que o rival.

Logo no início do terceiro set, Djokovic abriu 2/0. Karatsev conseguiu devolver a quebra e buscar o empate, mas depois, o sérvio voltaria a dominar o jogo. Ele venceu os últimos quatro games da partida, tendo perdido apenas três pontos no saque para consolidar a vitória em sets diretos. Além de disparar 17 aces na partida, Djokovic liderou a estatística de winners por 30 a 24 e cometeu apenas 14 erros não-forçados contra 30 de seu adversário.

Comentários