Notícias | Dia a dia | Australian Open
Barty aceita derrota e até defende algoz de polêmica
17/02/2021 às 11h36

Para Barty, tempo médico de Muchova está dentro das regras

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Eliminada nas quartas de final do Australian Open, Ashleigh Barty deixou mais uma vez escapar a chance de conquistar o título jogando em casa. A número 1 do mundo começou melhor no duelo contra a tcheca Karolina Muchova, 25ª do ranking, mas permitiu a virada depois de ter vencido o primeiro set com tranquilidade e liderado o segundo com uma quebra de vantagem. A queda de Barty amplia o longo jejum de títulos das australianas no torneio. A última anfitriã a levantar o troféu foi Chris O' Neil em 1978

"Eu senti que estava no controle da partida. Sabia o quanto queria vencer, mas apenas perdi um pouco o meu caminho. Perdi algumas oportunidade no meio do segundo set e não fui capaz de me reagrupar o suficiente para deixar claro no terceiro set como eu queria jogar", disse Barty após a derrota por 1/6, 6/3 e 6/2 nesta quarta-feira em Melbourne.

'Tempo médico está na regra', diz Barty
Durante o segundo set, Muchova precisou de um atendimento em quadra porque estava se sentindo mal. A paralisação foi longa, já que necessitava da presença de um médico e da fisioterapeuta, que levaram a jogadora ao vestiário. A partida só foi retomada depois de nove minutos. E na volta, a tcheca já se sentia bem melhor e começou a oferecer mais resistência à australiana. Barty se esquivou de polêmicas e defendeu o direito de sua adversária.

Leia mais: Algoz de Barty, Muchova explica mal estar no 1º set

"Ela está completamente dentro das regras por isso", afirmou a jogadora de 24 anos e campeã de Roland Garros em 2019. "Se ela não estivesse dentro das regras, os fisioterapeutas e os médicos teriam dito. Está na regra do nosso jogo que nós temos os intervalos médicos para os casos que forem necessários. Obviamente ela precisava disso hoje".

"Já joguei muitas partidas em que houve intervalos para atendimentos médicos. Eu mesma já precisei disso antes, então isso não deve ser tão decisivo na partida. Fico desapontada por eu ter deixado o jogo mudar depois do atendimento. Tenho experiência suficiente para ser capaz de lidar com isso", acrescentou a australiana.

Saldo positivo no retorno ao circuito
Vinda de título em um WTA 500 disputado na semana anterior ao Australian Open, também no Melbourne Park, Barty chegou a ficar quase um ano longe do tênis. A pandemia da Covid-19 e as rígidas restrições de diferentes esferas de governo na Austrália motivaram-na a não jogar no segundo semestre de 2020 e antecipar a pré-temporada, que ela começou ainda em outubro.

“Estar de volta ao circuito está sendo fantástico. Adorei cada segundo, embora às vezes seja frustrante. Mas assim é o esporte que praticamos. Acho que temos que comemorar como equipe a maneira como conseguimos voltar a jogar muito bem", afirmou Barty. "O sol vai nascer amanhã e seguimos com o nosso trabalho novamente. Acho que o jogo de hoje é uma enorme curva de aprendizado para mim".

Comentários