Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djokovic vence batalha e alcança a 39ª semi de Slam
16/02/2021 às 10h36

Djokovic precisou de 3h30 para superar Zverev e agora encara surpresa do torneio

Foto: Peter Staples/ATP Tour

Melbourne (Austrália) - A busca de Novak Djokovic pelo nono título do Australian Open ganhou um capítulo importante nesta terça-feira, quando o sérvio teve trabalho para garantir vaga na semifinal a competição. O número 1 do mundo superou o alemão Alexander Zverev, sétimo colocado, em duelo com quatro sets e 3h30 de duração, com parciais de 6/7 (6-8), 6/2, 6/4 e 7/6 (8-6). Vencedor de 17 títulos de Grand Slam, o sérvio de 33 anos disputará sua 39ª semifinal em torneios deste porte.

Depois de marcar sua sexta vitória em oito jogos contra Zverev, sendo a segunda só neste ano, Djokovic terá um adversário inédito na próxima rodada em Melbourne. Ele enfrenta o surpreendente russo Aslan Karatsev, número 114 do ranking. O jogador de 27 anos veio do qualificatório no Australian Open, está disputando a chave principal de um Grand Slam pela primeira vez na carreira e já está na semifinal. Pelo caminho, derrotou o top 10 argentino Diego Schwartzman, o canadense Felix Auger-Aliassime e o búlgaro Grigor Dimitrov.

A campanha de Djokovic em Melbourne tem sido bastante tortuosa. Sua única vitória por 3 a 0 foi sobre o francês Jeremy Chardy na estreia. Depois encarou um jogo de quatro sets contra o norte-americano Frances Tiafoe e uma batalha de cinco sets diante do também estadunidense Taylor Fritz. Naquele jogo, sofreu uma lesão muscular na região abdominal e cogitou abandonar o torneio. Já nas oitavas, precisou de quatro sets para superar o canadense Milos Raonic.

Por sua vez, Zverev ainda persegue seu primeiro título de Grand Slam. O alemão de 23 anos ficou muito perto da façanha no ano passado, quando foi vice-campeão do US Open e perdeu uma batalha de cinco sets para Dominic Thiem na final. Ele tentava alcançar a segunda semifinal seguida na Austrália. Vencedor de 13 títulos de ATP, ele já comemorou conquistas em três Masters 1000 e também no ATP Finals de 2018.

Djokovic começou o jogo com problemas no saque
Apesar de ter disparado um ace no primeiro ponto da partida, Djokovic teve o serviço quebrado com uma dupla-falta ainda no game de abertura. O sérvio enfrentava games longos, o que aumentaria a preocupação a respeito da lesão abdominal, e tentava forçar até mesmo o segundo saque na tentativa de encurtar os pontos. Já Zverev não corria riscos, tendo perdido apenas dois pontos em seus quatro primeiros games de serviço.

Quando perdia por 5/3, Djokovic salvou um set point no saque em outro game muito longo. Na sequência, Zverev teve a chance de sacar para fechar e Djokovic usou de sua experiência para exibir um jogo firme do fundo de quadra. Ele sustentou alguns ralis, um deles com treze trocas de bola, e contou com erros do alemão para devolver a quebra. À essa altura, o momento do jogo parecia favorável ao sérvio, que começou melhor no tiebreak. Mas depois de estar vencendo por 5-4, o número 1 do mundo venceu apenas um ponto em cinco disputados e acabou perdendo o set.


Sérvio aproveitou queda do rival e abriu 4/0 no segundo set
Com um relaxamento natural depois de ter vencido um set tão difícil, Zverev começou mal na segunda parcial e pagou caro. Djokovic confirmou dois games de saque de zero e conseguiu duas quebras seguidas. Assim abriu 4/0 no placar tendo vencido doze pontos e perdido apenas dois.

Na reta final do set, os sacadores claramente pouparam energia para as duas parciais seguintes, com games rápidos e pontos definidos em poucas trocas de bola.

A partir do 3º set, saque foi fundamental para o número 1
O terceiro set começou melhor para Zverev, que conseguiu uma quebra logo cedo e fez 3/0. Dois games mais tarde, Djokovic perdeu uma boa chance de quebra e destruiu a raquete. Com isso, o sérvio foi advertido pela árbitra francesa Aurélie Tourte. Mas o sérvio pareceu controlar melhor as emoções depois do incidente e passou a jogar melhor.

Depois de estar perdendo por 4/1, ele iniciou uma incrível reação. Zverev teve o saque quebrado depois de cometer duas duplas faltas seguidas. Dois games mais tarde, o alemão voltaria a sofrer uma quebra depois de quatro erros. Assim, o líder do ranking terminou o terceiro set vencendo cinco games seguidos.

Os altos de baixos da partida continuavam no início do quarto set. Novamente Zverev começou vencendo por 3/0 depois de conseguir uma quebra cedo e escapar de dois break points. Logo na sequência, foi a vez de Djokovic sobreviver a um game muito longo, em que enfrentou três chances de quebra. O sérvio ganhou confiança, enquanto o alemão voltou a oscilar no saque para ceder o empate por 3/3.

Já no oitavo game da parcial, o número 1 do mundo salvou dois break points e manteve o serviço. O sérvio ainda correria riscos no último game antes do tiebreak, quando salvou um set point com ace. Os sacadores dominaram o game-desempate com pontos rápidos e dando poucas chance para as devoluções. Em um raríssimo rali, Zverev conseguiu salvar um match point no saque. Mas logo depois, Djokovic conseguiu devolver bem para ter um match point no saque e vencer o jogo.

O equilíbrio da partida ficou evidente nas estatísticas. Djokovic liderou a contagem de aces por 23 a 21 e a de winners por 48 a 45. O sérvio cometeu 56 erros não-forçados contra 38 do alemão. O aproveitamento nos break points foi importante para o número 1 do mundo. Ele conseguiu três quebras em nove oportunidades, enquanto Zverev criou doze break points e conseguiu só três quebras de serviço. No total de pontos 149 a 139 para Djokovic.

Comentários