Notícias | Dia a dia | Australian Open
Traje de Serena foi inspirado em campeã olímpica
08/02/2021 às 10h27

A ex-número 1 do mundo explicou sobre o traje escolhido para a disputa do Australian Open

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Durante a tranquila partida de estreia de Serena Williams no Australian Open, o traje escolhido pela norte-americana chamou atenção. Serena utilizou um macacão de cores vivas, semelhante àqueles utilizado por corredores no atletismo. E ela conta que a inspiração foi justamente essa.

A roupa de Serena é uma homenagem a Florence Griffith Joyner, que ganhou três medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Seul em 1988. Flo-Jo, como ela é conhecida, sofreu uma morte súbita em 1998, quando tinha apenas 38 anos, em decorrência de uma convulsão.

"Fui inspirada pela Flo-Jo, que era uma excelente atleta quando eu era criança. E ela também estava sempre lançando moda, estava sempre mudando. As roupas dela sempre foram incríveis", disse Serena, que está com 39 anos e tinha apenas seis quando Flo-Jo brilhava nos Jogos de Seul. A tenista norte-americana conta que participou do desenho do traje. "Eu dizia: 'Oh, meu Deus, isso é brilhante'. Obviamente, fizemos algumas mudanças e ajustes e ficou assim".

Serena aprovou o desempenho na estreia, em que venceu a alemã Laura Siegemund por duplo 6/1 em apenas 56 minutos. A heptacampeã também ficou feliz por não ter sofrido tanto desgaste no ombro direito, que a incomodou durante a semana passada na disputa de um dos WTA 500 do Melbourne Park. "Foi um bom começo. Fui a 'Rena' dos velhos tempos". Acho que sou muito boa em me controlar em um Grand Slam e fico feliz pela partida. Não tinha certeza de como seria meu saque depois daquele problema ombro, mas estou me sentindo bem.

Adversária da sérvia de 24 anos Nina Stojanovic, 99ª do ranking, na próxima rodada em Melbourne, Serena segue em busca do tão sonhado 24º título de Grand Slam. A ex-número 1 do mundo e atual 11ª colocada celebra o fato de poder retomar a rotina de competições depois de um ano tão prejudicado pela pandemia da Covid-19. "O ano passado foi muito louco para o mundo. E só de poder fazer o que amo, que é competir e jogar um Grand Slam, me faz apreciar ainda mais o momento".

Comentários